Ensaios e Resenhas

Rita_Lee_3_211

A contadora de histórias

Por GISELE BARÃO

“Dropz”, de Rita Lee, reúne pequenos contos que ajudam a revelar multitalentos da cantora

Joao_Tordo_foto_Vitorino_Coragem_211

Cartografia emocional

Por GABRIELA SILVA

“Biografia involuntária dos amantes” é um romance sobre a possibilidade de se viver o desejo e o sonho

Italo Svevo, autor de Uma gozação bem-sucedida

Lições e gozações

Por RODRIGO GURGEL

Considerado “curto romance de uma brincadeira”, “Uma gozação bem-sucedida” é deliciosa sátira do mundo literário

Donaldo_Schuler_James_Joyce_211

Insanidade criativa

Por LUIZ HORÁCIO

Em “Joyce era louco?”, Donaldo Schüler aproxima arte e loucura e discute a ligação entre literatura e filosofia

Cristina_Sánchez_Andrade_foto_Carlos_Porras_211

De boca em boca

Por GISELE EBERSPÄCHER

Cristina Sánchez-Andrade se baseia na tradição oral em romance sobre consequências da Guerra Civil Espanhola

Chimamanda_Ngozi_Adichie_3_211

A Nigéria é aqui

Por LOURENÇO CAZARRÉ

Chimamanda Ngozi Adichie é implacável com a classe rica, mas um tanto indulgente com os da periferia

Adriana_Calcanhotto_2_211

Quermesse particular

Por Daniel Falkemback

Em “É agora como nunca”, Adriana Calcanhotto nos convida a ler poemas contemporâneos de sua preferência

Nathaniel Hawthorne por Fábio Abreu

No coração do poder

Por FABIO SILVESTRE CARDOSO

Nathaniel Hawthorne é autor incontornável a quem deseja discutir a respeito dos Estados Unidos

Michel_Houellebecq_ilustra_1_Ramon_Muniz_211

Permanecer vivo: um método

Por Michel Houellebecq

O sofrimento é o caminho possível ao poeta — este parasita sagrado

Cyro Martins, AUTOR DE Sombras da correnteza.

Só bons retalhos

Por RODRIGO GURGEL

Apesar do domínio estilístico, “Sem rumo”, de Cyro Martins, é narrativa frágil devido à falta de coesão, à inexistência de um enredo que congregue os dramas pessoais

Joao_Anzanello_Carrascoza_1_foto_Andressa_Barrichello_210

Cadernos do tempo

Por CLAUDIA NINA

Na obra de João Anzanello Carrascoza, o olhar para o sublime está no mínimo e não no grandioso

Sjon_3_210

Mergulho de superfícies

Por ARTHUR TERTULIANO

“Pela boca da baleia”, do islandês Sjón, é uma experiência literária interessante, mas sem se aprofundar nas questões apresentadas