julho de 2020

Rascunho

Curitiba - PR

A misteriosa Elena Ferrante estreou na ficção em 1992, mas só se tornou uma febre mundial quase 20 anos depois
Márwio Câmara

Rio de Janeiro - RJ

No polifônico "Torto arado", Itamar Vieira Junior oferece ao leitor a oportunidade de submergir na pele de negros e quilombolas do interior de um país marcado pela perversão da elite
João Cezar de Castro Rocha

Rio de Janeiro - RJ

Petra Costa é muito honesta no esclarecimento de sua perspectiva: ela pertence ao campo da esquerda democrática e considera o impeachment um golpe
Miguel Sanches Neto

Ponta Grossa - PR

O contista com foco muito grande na inovação da linguagem e na prospecção de novas formas de narrar
Rinaldo de Fernandes

João Pessoa - PB

A literatura da violência e seus seguidores
Eduardo Ferreira

Brasília - DF

Pelas ruas, os sentidos deslizam ágeis; deslizam ágeis pelo texto também, mas se enroscam na rede do papel, em direção a uma estabilidade passageira
Livia Garcia-Roza

Rio de Janeiro - RJ

Trecho inédito do novo romance de Livia Garcia-Roza
Leandro Reis

Vitória – ES

"A gaiola", de José Revueltas, escrita em uma prisão mexicana, acompanha a decadente trajetória de três detentos confinados numa cela de castigo
José Castello

Curitiba - PR

O fracasso no amor empurrou Clarice Lispector para a literatura
Matheus Lopes Quirino

São Paulo – SP

Na fábula "A mercadoria mais preciosa", Jean-Claude Grumberg mostra a importância do amor em meio ao Holocausto