Vigiar e punir

"A gaiola", de José Revueltas, escrita em uma prisão mexicana, acompanha a decadente trajetória de três detentos confinados numa cela de castigo
José Revueltas, autor de A gaiola
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram
01/07/2020
Exclusivo para assinantes

Escolha um plano de assinatura e aproveite todo nosso conteúdo.
R$ 7,90 (digital) e R$ 12,90 (digital + impresso).

Clique aqui para assinar

JÁ É ASSINANTE?

Entrar

A gaiola
José Revueltas
Trad.: Samuel Titan Jr.
Editora 34
64 págs.
José Revueltas
Nasceu em 1914, em Durango, no México. Depois de abandonar a escola, tornou-se autodidata, dedicando-se sobretudo à leitura de obras marxistas e socialistas. Por conta da militância política, foi preso três vezes. Como escritor, publicou ensaios, contos e romances, entre os quais Los dias terrenales, de 1949, que lhe valeu renome literário. Morreu em 1976, na Cidade do México, cinco anos após ser libertado de Lecumberri, onde escreveu seu último romance, A gaiola.

Leandro Reis

É jornalista e mestre em Estudos Literários.

Publicidade

Leia também

Itamar Vieira Junior

Salvador - BA

Neste ano que tudo parece fora de lugar, o Natal ganhou um significado ainda mais triste. Há milhões de famílias enlutadas ao redor do mundo
José Leonardo Sousa Buzelli

Campinas - SP

Pelo ineditismo e por suas muitas qualidades, “Fragmentos de Aristófanes”, de Karen Amaral Sacconi, deveria ser adotado em escolas e universidades
Luiz Ruffato

São Paulo - SP

Um episódio verídico ocorrido nos tempos em que os bichos falavam e liam jornais e os jornais influenciavam a opinião pública
Rascunho

Curitiba - PR

Artigos foram publicados no diário da “Liga dos Comunistas, Nova Gazeta Renana”, no período da Revolução Alemã e da contrarrevolução na Europa