Catástrofes subterrâneas

Em "Morra, amor" e "A débil mental", Ariana Harwicz aborda questões familiares, perversões e tabus com uma linguagem vertiginosa
Ariana Harwicz, autora de “Morra, amor”
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram
27/01/2021
Exclusivo para assinantes

Escolha um plano de assinatura e aproveite todo nosso conteúdo.
R$ 7,90 (digital) e R$ 12,90 (digital + impresso).

Clique aqui para assinar

JÁ É ASSINANTE?

Entrar

Morra, amor
Ariana Harwicz
Trad.: Francesca Angiolillo
Instante
144 págs.
A débil mental
Ariana Harwicz
Trad.: Francesca Angiolillo
Instante
96 págs.
Ariana Harwicz
Nasceu em Buenos Aires, na Argentina, em 1977. Graduou-se em Roteiro e Teatro. Em Paris, fez mestrado em Artes Performáticas e Literatura Comparada. Saiu da capital francesa para morar no campo, onde escreveu seu primeiro romance, Morra, amor — lançado em 2012 e indicado ao Booker Prize. Desde então publicou mais três narrativas longas e um livro de ensaios.

Vivian Schlesinger

Escritora, tradutora e mediadora de debates literários. Autora do livro de poemas Papaya na madrugada.

Publicidade

Leia também

Luiz Rebinski

Curitiba - PR

Pilar Quintana, autora do elogiado "A cachorra", venceu prêmios em seu país e no exterior com uma escrita simples, mas cheia de significados
Mariana Ianelli

São Paulo - SP

A tristeza e o sofrimento das muitas obras de arte que convivem com a sujeira de declarações execráveis deste governo do absurdo
Rascunho

Curitiba - PR

Trajetória do artista carioca, expoente do modernismo no Brasil, integra a coleção “Contando a arte”, da Global; livro é assinado por Angela Braga-Torres
Carola Saavedra

Colônia - Alemanha

Uma conversa com Daniel Munduruku sobre a experiência indígena na arte, a força da literatura oral, as amarras do cânone e a necessidade de se reconectar com a natureza