šŸ”“ ApĆ³s 20 anos, Editora 34 traduz toda ficĆ§Ć£o de DostoiĆ©vski

Com ā€œEscritos da casa mortaā€, todos os 23 livros do escritor russo foram vertidos para o portuguĆŖs, sempre em traduƧƵes diretas do idioma original
DostoiĆ©vski, autor de “Escritos da casa morta”
13/11/2020

(13/11/20)

Com a publicaĆ§Ć£o de Escritos da casa morta, a Editora 34 completa o projeto de traduzir para o portuguĆŖs toda a obra de ficĆ§Ć£o do russo FiĆ³dor DostoiĆ©vski. Foram 23 volumes ao longo dos Ćŗltimos 20 anos, com traduƧƵes feitas sempre a partir do idioma original. O que atĆ© entĆ£o era algo raro em se tratando das traduƧƵes do autor no Brasil.

O projeto teve inĆ­cio com a ediĆ§Ć£o de MemĆ³rias do subsolo, em traduĆ§Ć£o de Boris Schnaiderman, em setembro de 2000. No ano seguinte, foi publicado o clĆ”ssico Crime e castigo, em traduĆ§Ć£o de Paulo Bezerra.

Agora, duas dĆ©cadas depois, a editora encerra a publicaĆ§Ć£o das obras completas de ficĆ§Ć£o de DostoiĆ©vski com o livro que marca a sua ressurreiĆ§Ć£o como escritor, apĆ³s um perĆ­odo de quase dez anos em que esteve preso e exilado na SibĆ©ria. Escritos da casa morta (tambĆ©m conhecido como RecordaƧƵes da casa dos mortos), publicado entre 1860 e 1862, parte de um registro antropolĆ³gico da vida e dos costumes dos presos comuns, encarcerados com o escritor na fortaleza de Omsk, para empreender um mergulho profundo na psicologia do ser humano.

O livro foi traduzido diretamente do russo por Paulo Bezerra, que tambĆ©m assina a apresentaĆ§Ć£o do volume, e inclui um posfĆ”cio de Konstantin Motchulski, um dos principais biĆ³grafos de DostoiĆ©vski, uma carta em que o escritor defende seu livro da censura e dois depoimentos de Ć©poca sobre o perĆ­odo de encarceramento de DostoiĆ©vski, alĆ©m da sĆ©rie completa de 43 xilogravuras realizadas por Oswaldo Goeldi em 1945.

Confira a lista com todos os livros de ficĆ§Ć£o de DostoiĆ©vski lanƧados pela Editora 34:

Gente pobre (1846), traduĆ§Ć£o de FĆ”tima Bianchi [2009]
O duplo (1846), traduĆ§Ć£o de Paulo Bezerra [2011]
A senhoria (1847), traduĆ§Ć£o de FĆ”tima Bianchi [2006]
Noites brancas (1848), traduĆ§Ć£o de Nivaldo dos Santos [2005]
NiĆ©totchka NiezvĆ¢nova (1849), traduĆ§Ć£o de Boris Schnaiderman [2002]
Um pequeno herĆ³i (1857), traduĆ§Ć£o de FĆ”tima Bianchi [2015]
A aldeia de StepĆ”ntchikovo e seus habitantes (1859), traduĆ§Ć£o de Lucas Simone [2012]
Dois sonhos: O sonho do titio (1859) e Sonhos de Petersburgo em verso e prosa (1861), traduĆ§Ć£o de Paulo Bezerra [2012]
Humilhados e ofendidos (1861), traduĆ§Ć£o de FĆ”tima Bianchi [2018]
Escritos da casa morta (1862), traduĆ§Ć£o de Paulo Bezerra [2020]
Uma histĆ³ria desagradĆ”vel (1862), traduĆ§Ć£o de Priscila marques [2016]
MemĆ³rias do subsolo (1864), traduĆ§Ć£o de Boris Schnaiderman [2000]
O crocodilo (1865) e Notas de inverno sobre impressƵes de verĆ£o(1863), traduĆ§Ć£o de Boris Schnaiderman [2000]
Crime e castigo (1866), traduĆ§Ć£o de Paulo Bezerra [2001]
Um jogador (1867), traduĆ§Ć£o de Boris Schnaiderman [2004]
O idiota (1869), traduĆ§Ć£o de Paulo Bezerra [2002]
O eterno marido (1870), traduĆ§Ć£o de Boris Schnaiderman [2003]
Os demĆ“nios (1872), traduĆ§Ć£o de Paulo Bezerra [2004]
BobĆ³k (1873), traduĆ§Ć£o de Paulo Bezerra [2012]
O adolescente (1875), traduĆ§Ć£o de Paulo Bezerra [2015]
Duas narrativas fantĆ”sticas: A dĆ³cil (1876) e O sonho de um homem ridĆ­culo (1877), traduĆ§Ć£o de Vadim Nikitin [2003]
Os irmĆ£os KaramĆ”zov (1880), traduĆ§Ć£o de Paulo Bezerra [2008]
Contos reunidos, vƔrios tradutores [2017]

Escritos da casa morta
FiĆ³dor DostoiĆ©vski
Trad.: Paulo Bezerra
Editora 34
408 pƔgs.
Rascunho

OĀ RascunhoĀ foi fundado em 8 de abril de 2000. Nacionalmente reconhecido pela qualidade de seu conteĆŗdo, Ć© distribuĆ­do em ediƧƵes mensais para todo o Brasil e exterior. Publica ensaios, resenhas, entrevistas, textos de ficĆ§Ć£o (contos, poemas, crĆ“nicas e trechos de romances), ilustraƧƵes e HQs.

Rascunho