Juan Gelman

Leia os poemas traduzidos "I", "II" e "III"
Juan Gelman, poeta, jornalista e tradutor argentino
01/04/2005

Tradução do sefardita ao português de Andityas Soares de Moura

I
il batideru di mis bezus/
quero dizer: il batideru di mis bezus
si sintirá in tu pasadu
cun mí in tu vinu/

avrindo la puarta dil tiempu/
tu sueniu
dexa cayer yuvia durmida/
dámila tu yuvia/

mi quedarí/quietu
in tu yuvia di sueniu/
londji nil pinser/
sin spantu/sin sulvidu/

nila caza dil tiempu
sta il pasadu/
dibaxu di tu piede/
qui balia/

I
o tremor de meus lábios/
quero dizer: o tremor de meus beijos
será ouvido em teu passado
comigo em teu vinho/

abrindo a porta do tempo/
teu sono
deixa cair chuva adormecida/
dá-me tua chuva/

ficarei/quieto
em tua chuva de sono/
longe no pensar/
sem espanto/sem olvido/

na casa do tempo
está o passado/
debaixo de teu pé/
que baila/

II
¿óndi sta la yave di tu curasón?/
il páxaru qui pasara es malu/
a mí no dixera nada/
a mí dexara timblandu/

¿óndi sta tu curasón agora?/
un árvuli di spantu balia/
no más tengu ojus cun fanbre
y un djaru sin agua/

dibaxu dil cantu sta la boz/
dibaxu di la boz sta la folya
qu’il árvuli dexara
cayer di mi boca/

II
onde está a chave de teu coração?/
o pássaro que passou é mau/
a mim não me disse nada/
a mim me deixou tremendo/

onde está teu coração agora?/
uma árvore de espanto baila/
não tenho mais do que olhos com fome
e um jarro sem água/

debaixo do canto está a voz/
debaixo da voz está a folha
que a árvore deixou
cair de minha boca/

III
l’amaniana arrelumbra a lus páxarus/
sta aviarta/teni friscura/
la biviremus djuntu
cun il spantu dil pinser/

quirinsioza:
cayenta lu pasadu/
diz bezus y lus bezus dispartarán/
cayeremos serca dil sol/

lembrara tu nagüita curilada/
tus floris curiladas/
tus bezus curiladus/
tu blancu curasón/

III
a manhã faz os pássaros brilharem/
está aberta/tem frescura/
a beberemos junto
com o espanto do pensar/

querendona:
esquenta o passado/
diz beijos e os beijos despertarão/
cairemos perto do sol/

lembrei de tuas anáguas vermelhas/
de tuas flores vermelhas/
de teus beijos vermelhos/
de teu branco coração/

Os poemas aqui publicados pertencem ao livro Dibaxu (Debaixo), inédito no Brasil.

Juan Gelman
Nasceu em Buenos Aires, em 1930. Autor de Iso, Amor que serena, termina?, entre outros.
Andityas Soares de Moura

É poeta, tradutor e ensaísta. Autor de Fomeforte, entre outros.

Rascunho