Na corda bamba

"Olhos d’água", de Conceição Evaristo, aborda a violência e a miséria que marcam a vida de muitos afro-brasileiros
Conceição Evaristo, autora de “Olhos d’água”
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram
Exclusivo para assinantes

Escolha um plano de assinatura e aproveite todo nosso conteúdo.
R$ 7,90 (digital) e R$ 12,90 (digital + impresso).

Clique aqui para assinar

JÁ É ASSINANTE?

Entrar

Olhos d’água
Conceição Evaristo
Pallas/FBN
116 págs.
Conceição Evaristo
Nasceu em 1946, numa favela de Belo Horizonte (MG). Foi para o Rio de Janeiro em 1973. Ali, atuou no magistério e ingressou na Faculdade de Letras da UFRJ. Fez Mestrado em Literatura na PUC-Rio e Doutorado em Literatura Comparada na UFF. Na década de 1980, estabeleceu contato com o grupo Quilombhoje. Em 1990, os Cadernos negros publicaram alguns de seus poemas. Com o romance Ponciá Vicêncio, de 2003, Conceição Evaristo obteve a merecida consagração literária. Em 2006, lançou o livro Becos da memória e, em 2008, Poemas da recordação e outros movimentos.

Marcos Hidemi de Lima

É professor de Literatura Brasileira na UTFPR de Pato Branco (PR). Autor de Dança de palavras e sonsMulheres de GracilianoVárias tessituras. Escreve crônicas semanais para o Diário do Sudoeste, jornal de Pato Branco.

Leia também

Rascunho

Curitiba - PR

Semifinalista do Prêmio Oceanos em 2019, autor narra um dia na vida de um tradutor à beira do desespero desde a partida de sua noiva
Rascunho

Curitiba - PR

“Os filhos de Hitler”, do jornalista Gerald Posner, apresenta uma visão da vida privada e das ações públicas daqueles que trabalharam para o Terceiro Reich
Rascunho

Curitiba - PR

“Viva la vida”, escrita pela espanhola Carmen Domingos, traz a trajetória da pintora mexicana em dez episódios em português
Rascunho

Curitiba - PR

Da rivalidade literária de Martin Amis à busca por uma voz autoral de Elizabeth Strout, o “Rascunho” seleciona romances que têm escritores no centro de suas tramas