Capão pecado

Reginaldo Ferreira da Silva, o Ferréz, iniciou seu caminho nas letras, de forma independente, com os poemas de Fortaleza da desilusão (1997)
Capão pecado
Ferréz
Companhia das Letras
144 págs.
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram
01/05/2021

Reginaldo Ferreira da Silva, o Ferréz, iniciou seu caminho nas letras, de forma independente, com os poemas de Fortaleza da desilusão (1997). Três anos depois, lançou o romance Capão pecado — o qual, antes de ser reeditado pela Companhia das Letras, com posfácio de Marcelino Freire, vendeu mais de 100 mil exemplares. No livro, referência quando se fala em periferia e literatura, Rael é um sujeito à margem que tenta se virar com honestidade, assombrado pelos fantasmas do meio hostil em que vive — espécie de Vietnã nacional, conforme o personagem “brinca” em determinado momento da narrativa. No bairro do Capão, onde acontecem coisas que até o diabo duvida e “o futuro fica mais pra frente, bem mais pra frente”, as vidas valem muito pouco e tudo parece sempre por um fio. Para completar o cenário caótico, no qual a desigualdade e falta de perspectivas ditam as regras, o protagonista se apaixona pela namorada de um amigo e tudo desanda de vez.

Rascunho

Rascunho foi fundado em 8 de abril de 2000. Nacionalmente reconhecido pela qualidade de seu conteúdo, é distribuído em edições mensais para todo o Brasil e exterior. Publica ensaios, resenhas, entrevistas, textos de ficção (contos, poemas, crônicas e trechos de romances), ilustrações e HQs.

Publicidade