A representação da criança na literatura infantojuvenil: Rémi, Pinóquio e Peter Pan

O livro de estreia da doutora em Teoria Literária e Literatura Comparada Isabel Lopes Coelho demonstra a densidade real das histórias infantojuvenis
A representação da criança na literatura infantojuvenil: Rémi, Pinóquio e Peter Pan
Isabel Lopes Coelho
Perspectiva
184 págs.
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram
23/03/2021

O livro de estreia da doutora em Teoria Literária e Literatura Comparada Isabel Lopes Coelho demonstra a densidade real das histórias infantojuvenis. Dividida em quatro capítulos, a obra analisa o mercado editorial europeu do século 19 a partir de como personagens foram representadas em três narrativas fundamentais do gênero: Sans famille (França), Pinóquio (Itália) e Peter e Wendy (Inglaterra). Para elucidar seus pontos, a autora se apoia na metodologia de Erich Auerbach, autor de Mimesis, dando atenção às ações aparentemente simples que, na verdade, conferem significados profundos às histórias. Por meio dessas análises, a publisher da FTD Educação mostra que as personagens estão inseridas em contextos que bastam em si mesmos, e não são apenas instrumentos para a transmissão de mensagens edificantes. Segundo João Luís Ceccantini, que assina o prefácio, o estudo traz “uma profusão de sentidos capazes de reapresentar ao leitor maduro alguns clássicos da infância sob uma perspectiva francamente renovada”.

Rascunho

Rascunho foi fundado em 8 de abril de 2000. Nacionalmente reconhecido pela qualidade de seu conteúdo, é distribuído em edições mensais para todo o Brasil e exterior. Publica ensaios, resenhas, entrevistas, textos de ficção (contos, poemas, crônicas e trechos de romances), ilustrações e HQs.

Publicidade