Pesquisadora analisa discursos de ódio na internet

Em “Nós versus eles”, que será lançado nesta terça-feira, Mércia Regina Santana Flannery discute a linguagem de preconceito nas redes sociais
Mércia Regina Santana Flannery, autora de “Nós versus eles”
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram
08/06/2021

Os discursos de ódio disseminados na internet foram objeto de estudo da professora e doutora em Linguística Mércia Regina Santana Flannery e estão no livro Nós versus eles — discurso discriminatório, preconceito e linguagem agressiva na comunicação digital no Brasil, que a editora Cepe lança nesta terça-feira (8).

A live de lançamento acontece às 19h, no canal da Cepe no YouTube, com participação da autora e dos linguistas Antonio José e Kleber Silva, com mediação da repórter especial da Revista Continente, Débora Nascimento.

Com 304 páginas divididas em 13 capítulos, o livro traz enxertos de comentários de internautas (sob anonimato) para esmiuçar seus discursos e, dessa forma, mostrar ao leitor como a linguagem agressiva age no ambiente virtual para, quem sabe, fazer com que seja neutralizada.

A julgar por comentários na imprensa e redes sociais, o brasileiro passou do estereótipo de cordial para o de intolerante e autoritário. A narrativa que impera em fóruns de discussões online é de racismo, xenofobia, polarizações políticas, intolerância religiosa, homofobia e machismo.

Uma das maiores características apontadas é a tendência à polarização. Segundo Mércia, essa tendência existe tanto no discurso político, quanto público e midiático. “Qualquer tema, pode-se afirmar, tem o potencial de causar pequenas batalhas ideológicas, que fazem as pessoas se esquecerem de que, possivelmente, têm mais em comum do que imaginam. Este traçar de trincheiras e estes posicionamentos polarizados, muito rígidos e antagônicos são apropriadamente capturados na expressão ‘nós versus eles’”, explica.

Em sua análise sociolinguística, ela constata que “a sociedade brasileira não é, infelizmente — e ao contrário do que ainda se pode pensar —, um modelo de harmonia e inclusividade”.

Para a linguista, está faltando algo essencial: o diálogo. Não só no Brasil, mas também em outras partes do mundo. “Parece que as pessoas esqueceram que não precisamos ter as mesmas opiniões, e que dialogar sobre as diferenças é algo muito saudável. Dialogar, porém, envolve a noção de troca, o que não ocorre se, a priori, as partes já sabem — ou acreditam —que estão certas”, pontua a pesquisadora.

Mércia Regina Santana Flannery é licenciada em Letras, mestre e doutora em Linguística, com especialização em Sociolinguística e Análise da Narrativa Oral. É diretora do Programa de Língua Portuguesa e Cultura Lusófona do Departamento de Estudos Hispânicos e Portugueses da Universidade da Pensilvânia, na Filadélfia, Estados Unidos.

Nós versus eles — discurso discriminatório, preconceito e linguagem agressiva na comunicação digital no Brasil
Mércia Regina Santana Flannery
Cepe
304 págs.

Rascunho

Rascunho foi fundado em 8 de abril de 2000. Nacionalmente reconhecido pela qualidade de seu conteúdo, é distribuído em edições mensais para todo o Brasil e exterior. Publica ensaios, resenhas, entrevistas, textos de ficção (contos, poemas, crônicas e trechos de romances), ilustrações e HQs.

Publicidade