Memórias de Rebecca Solnit reconstituem seu engajamento feminista

Em “Recordações da minha inexistência”, autora fala de assédio, violência e das forças que a libertaram e a incentivaram a batalhar por mudanças
Rebecca Solnit, autora de “Recordações da minha inexistência”
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram
21/02/2021

Chega nesta semana às livrarias Recordações da minha inexistência, livro de memórias da historiadora e ativista Rebecca Solnit. Ela é autora de mais de 15 de livros sobre feminismo, história indígena, poder popular, mudança social e outros assuntos contemporâneos.

Na nova obra, Solnit reconstitui sua formação na Califórnia da era punk e pós-contracultural, rememorando desde o assédio e a violência que sofria na vida cotidiana e nos círculos intelectuais, até as forças que a libertaram e a incentivaram a batalhar por mudanças.

Autora de obras de sucesso como Os homens explicam tudo para mim, A mãe de todas as perguntas e De quem é esta história, a escritora nasceu nos Estados Unidos e é colunista do jornal The Guardian e colaboradora do portal Literary Hub.

Recordações da minha inexistência
Rebecca Solnit
Trad.: Isa Mara Lando
Companhia das Letras
264 págs.

Rascunho

Rascunho foi fundado em 8 de abril de 2000. Nacionalmente reconhecido pela qualidade de seu conteúdo, é distribuído em edições mensais para todo o Brasil e exterior. Publica ensaios, resenhas, entrevistas, textos de ficção (contos, poemas, crônicas e trechos de romances), ilustrações e HQs.

Publicidade