Luci Collin volta aos contos com “Dedos impermitidos”

Autora curitibana lança livro de narrativas curtas após ser finalista do Prêmio Jabuti em 2020 com a coletânea de poemas “Rosa que está”
Luci Collin, autora de “Dedos impermitidos”
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram
17/05/2021

A poeta e prosadora curitibana Luci Collin lança mais um livro pela Iluminuras. Dedos impermitidos traz contos em que a marca da poesia se faz muito presente. O livro ainda traz prefácio da escritora e crítica literária Maria Esther Maciel sobre o trabalho de Luci.

“Luci Collin vem construindo uma obra vasta e intensa nos últimos anos, sobretudo no vigor poético da sua prosa. Não quero com isso sugerir uma dicotomia simples entre prosa e poesia; mas, em sua escrita múltipla, Collin de fato tem uma voz razoavelmente unificada e estável nos versos, ao passo que na prosa realiza uma verdadeira explosão de modos, ritmos, tons, personas, que vão construindo a cada peça toda uma nova história da linguagem possível e impossível”, diz trecho do texto de orelha, assinado pelo poeta Guilherme Gontijo Flores.

Luci Collin tem uma vasta produção como poeta, ficcionista e tradutora. São mais de 20 livros publicados desde os anos 1984, ano em que estreou com o livro de poesia Estarrecer. Em 2015, foi finalista do Prêmio Oceanos com Querer falar. Seus livros mais recentes, são A árvore todas (contos, 2015), A palavra algo (poesia, 2016, Prêmio Jabuti), Papéis de Maria Dias (romance, 2018 — com peça teatral homônima montada pelo Teatro Guaíra) e Rosa que está (poesia, 2019, finalista do Prêmio Jabuti).

Participou de diversas antologias nacionais e internacionais (nos EUA, Alemanha, França, Uruguai, Argentina, Peru e México). Com Doutorado em Estudos Linguísticos e Literários em Inglês (USP, 2003), é professora aposentada do Departamento de Letras Estrangeiras Modernas da UFPR. Ocupa a Cadeira n. 32 da Academia Paranaense de Letras.

Dedos impermitidos
Luci Collin
Iluminuras
120 págs.

Rascunho

Rascunho foi fundado em 8 de abril de 2000. Nacionalmente reconhecido pela qualidade de seu conteúdo, é distribuído em edições mensais para todo o Brasil e exterior. Publica ensaios, resenhas, entrevistas, textos de ficção (contos, poemas, crônicas e trechos de romances), ilustrações e HQs.

Publicidade