“Livro de sonetos”, de Vinicius de Moraes, é reeditado

Com capa dura, título conta com organização e prefácio do poeta Eucanaã Ferraz, além de posfácio de Otto Lara Resende, publicado originalmente em 1967
Vinicius de Moraes, autor de “Livro de sonetos”
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram
25/11/2020

(25/11/20)

Chega às livrarias uma edição especial de Livro de sonetos, uma das principais obras do poeta Vinicius de Moraes. Em capa dura, o título conta com organização e prefácio do poeta Eucanaã Ferraz, além de posfácio de Otto Lara Resende, publicado originalmente em 1967.

A nova edição conta ainda com uma coleção de fotografias e uma cronologia da vida e da obra do poeta carioca.

Lançado originalmente em 1957, o volume passaria a incluir, nas décadas seguintes, novas composições: aos 57 selecionados pelo próprio autor, somaram-se dezesseis poemas esparsos. Eucanaã Ferraz diz que os sonetos de Vinicius “impressionam pela carga emotiva que encerram, mas também pela maleabilidade que a forma fixa adquire nas mãos do poeta”.

Vinicius de Moraes nasceu em 1913, no Rio de Janeiro. Cursou a Faculdade de Direito da rua do Catete e a Universidade de Oxford, onde estudou língua e literatura inglesas. Em 1941 entrou para o Itamaraty, assumindo em 1946 seu primeiro posto diplomático, de vice-cônsul em Los Angeles.

Poeta, cronista e dramaturgo, em 1953 conheceu Antônio Carlos Jobim e iniciou um apaixonado envolvimento com a música brasileira, tornando-se um de seus maiores letristas. A lista de seus parceiros musicais é vasta, incluindo, além de Tom Jobim, Baden Powell, Chico Buarque, Carlos Lyra, Edu Lobo e Toquinho, entre outros. Morreu em 1980.

Livro de sonetos
Vinicius de Moraes
Companhia das Letras
160 págs.

Rascunho

Rascunho foi fundado em 8 de abril de 2000. Nacionalmente reconhecido pela qualidade de seu conteúdo, é distribuído em edições mensais para todo o Brasil e exterior. Publica ensaios, resenhas, entrevistas, textos de ficção (contos, poemas, crônicas e trechos de romances), ilustrações e HQs.

Publicidade

Leia também

Rascunho

Curitiba - PR

Texto faz parte da série “Overlooked no more”, sobre pessoas notáveis cujas mortes, a partir de 1851, não foram relatadas no jornal
Rascunho

Curitiba - PR

Fundador da Microsoft sugere “cinco bons livros para um ano péssimo”; entre os títulos, obras sobre o racismo e a Segunda Guerra Mundial
João Melo

Luanda - Angola

Os portugueses precisam de despir-se do complexo de superioridade derivado da convicção de que, supostamente, são os “donos” da nossa língua comum
Rascunho

Curitiba - PR

“Escrever de ouvido: Clarice Lispector e os romances de escuta”, da brasileira Marília Librandi, já teve edição em inglês e será publicado agora no Brasil pela Relicário