Clássico do historiador Carter G. Woodson ganha reedição

“A (des)educação do negro”, publicado originalmente em 1933, vai contra os padrões de ensino eurocentrados; o prefácio é do rapper Emicida
Carter G. Woodson, autor de “A (des)educação do negro”
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram
12/04/2021

Expoente na luta antirracista, o livro A (des)educação do negro, do historiador norte-americano Carter G. Woodson (1875-1950), retorna às prateleiras brasileiras com prefácio de Emicida.

A obra, lançada originalmente em 1933, mostra como o ensino tradicional, focado na cultura europeia e desprezando os saberes de matrizes africanas, não auxilia o estudante negro a obter o sucesso e ainda o impede de ter uma identidade própria.

No prefácio, Emicida aponta que esse escrito de 88 anos funciona como uma bússola para as novas gerações e “pode oferecer soluções valiosas para que o amanhã não seja só um ontem com um novo nome”.

Historiador, escritor e jornalista, Woodson foi o segundo negro dos Estados Unidos a conseguir um PhD pela Universidade de Harvard, na qual lecionou. É considerado o pai da história negra americana.

A (des)educação do negro
Carter G. Woodson
Trad.: Naia Veneranda Gomes da Silveira
Edipro
128 págs.

Rascunho

Rascunho foi fundado em 8 de abril de 2000. Nacionalmente reconhecido pela qualidade de seu conteúdo, é distribuído em edições mensais para todo o Brasil e exterior. Publica ensaios, resenhas, entrevistas, textos de ficção (contos, poemas, crônicas e trechos de romances), ilustrações e HQs.

Publicidade