🔓 Bel Santos Mayer investiga a formação de leitores a partir de bibliotecas comunitárias

Em novo livro, pesquisadora narra história da Biblioteca Comunitária Caminhos da Leitura,  instalada em um cemitério de Parelheiros, na região rural de SP
Bel Santos Mayer, “Parelheiros, Idas e Vi(n)das – Ler, viajar e mover-se com uma biblioteca comunitária”
28/11/2022

Instalada em um cemitério de Parelheiros, na região periférica rural a 50 km do centro do município de São Paulo, a Biblioteca Comunitária Caminhos da Leitura tem sua história contada por Bel Santos Mayer no livro Parelheiros, Idas e Vi(n)das — Ler, viajar e mover-se com uma biblioteca comunitária, lançado pelo Selo Emília.

Com pouco mais de uma década de existência, a biblioteca vem deixando suas marcas não só na comunidade local como também em toda a cidade. As mais imediatas estão relacionadas ao acesso à leitura literária daqueles que passaram a frequentá-la. Mas outras marcas também são identificadas a partir do interesse que o trabalho ali realizado despertou para além da comunidade, ganhando protagonismo mundo afora e com ele visitantes de toda parte. Essas questões foram objeto de estudo de Bel Santos Mayer

A obra é adaptada da pesquisa de mestrado da autora sobre as manifestações de mobilidades turísticas relacionadas à Biblioteca Comunitária Caminhos da Leitura, também conhecida pela sigla BCCL, um dos projetos criados pelo Instituto Brasileiro de Estudos e Apoio Comunitário (IBEAC) e um grupo de jovens desde 2008.

“Os sujeitos da pesquisa — além de mim, como pesquisadora — foram principalmente jovens vinculados à BCCL, mas também aqueles e aquelas que vencem muitos quilômetros para entrar em contato com esse mundo literário no extremo sul de São Paulo”, destaca a autora na introdução do livro.

A biblioteca é, portanto, o ponto de partida para a compreensão de uma realidade complexa. Como esse equipamento cultural comunitário desencadeou uma série de transformações, desde sua criação com presença ativa dos jovens, passando pelas formas de atuação e as práticas coletivas que têm o direito humano à literatura para todos como princípio norteador.

Também pelos deslocamentos que acabou instigando. “A biblioteca, no curso da transformação de vidas, começou a atrair olhares e interesses, a ponto de gerar fluxos suficientes para que as visitas precisassem ser agendadas em um dia específico da semana. Pessoas que vinham (e vêm!) conhecer o que se passa em meio a livros cuidadosamente selecionados, organizados, lidos e discutidos por jovens entusiasmados e cheios do que ensinar a quem mora para lá do Rio Pinheiros ou do Oceano Atlântico”, destaca na apresentação do livro, o professor Thiago Allis, da Escola de Artes Ciências e Humanidades, da Universidade de São Paulo (EACH-USP) e orientador de Bel.

Parelheiros, Idas e Vi(n)das – Ler, viajar e mover-se com uma biblioteca comunitária integra a coleção dedicada ao debate sobre formação de leitores, acesso ao livro e à literatura organizada pela parceria entre o Selo Emília e Solisluna Editora, que tem outros cinco títulos já publicados.

Bel Santos Mayer é educadora social e ativista da causa do livro, literaturas e bibliotecas. Mestra em Ciências pelo Programa de Pós-Graduação em Turismo (EACH/USP), coordena o Instituto Brasileiro de Estudos e Apoio Comunitário (IBEAC) e é cogestora da Rede LiteraSampa. Ministra formações e tem artigos publicados nas áreas dos Direitos Humanos, Relações Raciais, Direitos das Crianças e Adolescentes e formação de jovens leitores.

Recebeu vários prêmios por sua trajetória nas bibliotecas comunitárias, entre eles: Retratos da Leitura no Brasil (2018); Estado de São Paulo para as Artes (2019); 67° Prêmio APCA — Associação Paulista de Críticos de Artes na categoria Difusão de Literatura Brasileira; Prêmio Pessoa Inspiradora APF (2021) — Associação Paulista de Fundações.

Parelheiros, Idas e Vi(n)das: ler, viajar e mover-se com uma biblioteca comunitária
Bel Santos Mayer
Selo Emília | Solisluna Editora
320 págs.
Rascunho

O Rascunho foi fundado em 8 de abril de 2000. Nacionalmente reconhecido pela qualidade de seu conteúdo, é distribuído em edições mensais para todo o Brasil e exterior. Publica ensaios, resenhas, entrevistas, textos de ficção (contos, poemas, crônicas e trechos de romances), ilustrações e HQs.

Rascunho