Alberto Mussa vence prêmio da ABL

Alberto Mussa vence o segundo prêmio literário com O senhor do lado esquerdo
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram
31/05/2012
Alberto Mussa, autor de O senhor do lado esquerdo

O senhor do lado esquerdo, romance do escritor carioca Alberto Mussa, ganhou o prêmio da Academia Brasileira de Letras de melhor livro de ficção publicado em 2011. A comissão julgadora foi composta por Ana Maria Machado, Nélida Piñon e João Ubaldo Ribeiro. Segundo a assessoria de imprensa da ABL, o valor dos prêmios e os vencedores nas demais categorias ainda não foram definidos. No ano passado, Nada a dizer, de Elvira Vigna, foi o vencedor na mesma categoria Ficção.

O livro de Mussa, publicado pela editora Record, também está entre os primeiros finalistas do Prêmio Portugal Telecom de Literatura anunciados ontem. No ano passado, O senhor do lado esquerdo venceu em primeiro lugar na categoria romance o Prêmio Machado de Assis, da Fundação Biblioteca Nacional.

Alberto Mussa nasceu no Rio de Janeiro, em 1961. Entre outras distinções, ganhou os prêmios Casa de Las Américas, Machado de Assis (FBN), e, por duas vezes, o da Associação Paulista de Críticos de Arte. É autor de O enigma de QafO movimento pendular e Meu destino é ser onça, entre outros.

LEIA ENTREVISTA COM ALBERTO MUSSA

LEIA RESENHA DE O SENHOR DO LADO ESQUERDO

Publicidade

Leia também

Giovana Madalosso

São Paulo - SP

Talvez escrever um livro para um amante seja o canto do cisne. Só aprisionamos em uma obra aquilo que já não existe mais
Rascunho

Curitiba - PR

Clássicos de George Orwell, lançados pela Edipro, chegam às livrarias em 1º de janeiro, com traduções assinadas por Alexandre Barbosa de Souza
Rascunho

Curitiba - PR

Publicado pela 7Letras, “O vento gira em torno de si” revela as angústias da narradora diante de muitas perdas e do desastre ecológico no Rio Doce, em 2014
Rascunho

Curitiba - PR

Fenômeno da internet, obra da ilustradora Luiza de Souza foi viabilizada por meio de financiamento coletivo pela Seguinte, selo da Companhia das Letras