Um artesão à deriva

O sergipano Francisco J. C. Dantas fala sobre seu novo livro, "Uma jornada como tantas", e de como é criar uma obra “regionalista” em meio a um mundo cada vez mais urbano e conectado
Francisco J. C. Dantas, autor de “Uma jornada como tantas”
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram
31/03/2020
Exclusivo para assinantes

Escolha um plano de assinatura e aproveite todo nosso conteúdo.
R$ 7,90 (digital) e R$ 12,90 (digital + impresso).

Clique aqui para assinar

JÁ É ASSINANTE?

Entrar

Uma jornada como tantas
Francisco J. C. Dantas
Companhia das Letras
240 págs.

Luiz Rebinski

É jornalista e escritor. Autor do romance Um pouco mais ao sul.

Publicidade

Leia também

Carolina Vigna

São Paulo - SP

Aldous Huxley viveu e morreu como quis e, para mim, essa é a mais importante medida de uma vida plena. É meu objetivo, meu norte
Rascunho

Curitiba - PR

“Quarenta e quatro em quarentena” é resultado de conversas com várias figuras, como Gilberto Gil, Fernando Henrique Cardoso e Regina Casé
Rascunho

Curitiba - PR

Mário Frias criticou bisneta do autor, que pretende fazer “versão atualizada” de “A menina do narizinho arrebitado” 
Giovana Madalosso

São Paulo - SP

Talvez escrever um livro para um amante seja o canto do cisne. Só aprisionamos em uma obra aquilo que já não existe mais