Prisma do caos

Autor de "M, o filho do século", Antonio Scurati analisa os principais pontos que ajudaram a consolidar o fascismo no mundo e fala sobre o tempo pandêmico
Antonio Scurati, autor de M, o filho do século
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram
01/08/2020
Exclusivo para assinantes

Escolha um plano de assinatura e aproveite todo nosso conteúdo.
R$ 7,90 (digital) e R$ 12,90 (digital + impresso).

Clique aqui para assinar

JÁ É ASSINANTE?

Entrar

M, o filho do século
Antonio Scurati
Trad.: Marcello Lino
Intrínseca
816 págs.

Claudia Nina

É jornalista e escritora, autora dos infantis A barca dos feiosos, Nina e a lamparina, A repolheira Ana-Centopeia, entre outros. Publicou os romances Esquecer-te de mim (Babel) e Paisagem de porcelana (Rocco), finalista do Prêmio Rio. Assina coluna semanal na revista Seleções. Seu trabalho mais recente é a participação na antologia Fake fiction (Dublinense). Alguns textos da coluna da Seleções estão no seu podcast, disponível no Spotfy, lidos pela própria autora.

Publicidade

Leia também

José Leonardo Sousa Buzelli

Campinas - SP

Pelo ineditismo e por suas muitas qualidades, “Fragmentos de Aristófanes”, de Karen Amaral Sacconi, deveria ser adotado em escolas e universidades
Luiz Ruffato

São Paulo - SP

Um episódio verídico ocorrido nos tempos em que os bichos falavam e liam jornais e os jornais influenciavam a opinião pública
Rascunho

Curitiba - PR

Artigos foram publicados no diário da “Liga dos Comunistas, Nova Gazeta Renana”, no período da Revolução Alemã e da contrarrevolução na Europa
Carolina Vigna

São Paulo - SP

Aldous Huxley viveu e morreu como quis e, para mim, essa é a mais importante medida de uma vida plena. É meu objetivo, meu norte