Verdes e podres frutos

No romance "A ponte no nevoeiro", Chico Lopes cria uma cidade fictícia para narrar a vida pacata de artistas condenados ao provincianismo
Chico Lopes, autor de “A ponte no nevoeiro”
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram
02/06/2021
Exclusivo para assinantes

Escolha um plano de assinatura e aproveite todo nosso conteúdo.
R$ 7,90 (digital), R$ 12,90 (digital + impresso) e R$ 139,90 (digital + impresso anual).

Clique AQUI para assinar

JÁ É ASSINANTE?

Entrar

A ponte no nevoeiro
Chico Lopes
Laranja Original
333 págs.
Chico Lopes
Paulista radicado em Poços de Caldas (MG), publicou os livros de contos Nó de sombras (2000), Dobras da noite (2004) e Hóspedes do vento (2010), entre outros. A ponte no nevoeiro (2020), sua terceira narrativa de fôlego, faz parte de uma trilogia composta por Corpos furtivos (2015) e O estranho no corredor (2011), vencedor do Prêmio Jabuti.

Matheus Lopes Quirino

Jornalista, é editor revista eletrônica de literatura Fina e colaborador do jornal O Estado de S. Paulo.

Últimas edições

Publicidade

Publicidade