Esqueletos no armário

Ao escrever sobre o sagrado matrimônio, Sándor Márai não usou luva de pelica e chutou o pau de muita barraca enquanto atirava pedra em tetos de vidro
Sándor Márai, autor de As afinidades eletivas
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram
27/06/2020
Exclusivo para assinantes

Escolha um plano de assinatura e aproveite todo nosso conteúdo.
R$ 7,90 (digital) e R$ 12,90 (digital + impresso).

Clique aqui para assinar

JÁ É ASSINANTE?

Entrar

Sándor Márai
Nasceu em Kassa, no antigo Império Austro-Húngaro, em 1900. Perseguido pela ditadura comunista, passou a maior parte de sua vida no exílio. Viveu na Suíça, Itália, Inglaterra e Estados Unidos, onde cometeu suicídio, em 1989, antes de ver suas obras novamente editadas em seu país. Entre romances, peças de teatro, diários e compilações de textos jornalísticos, conta com mais de 60 títulos publicados.

Jocê Rodrigues

É jornalista, escritor e editor.

Publicidade

Leia também

Rascunho

Curitiba - PR

Além de “Pequeno manual antirracista”, da filósofa brasileira, clássicos da literatura, como “1984”, e títulos de autoajuda foram os mais procurados
Rafael Zacca

Rio de Janeiro - RJ

Em novo livro, repleto de “musicalidade”, Angélica Freitas, que vive na Alemanha, não perde de vista os problemas sociais e políticos que assolam o Brasil
Marcelo Moutinho

Rio de Janeiro - RJ

Tia Maria do Jongo completaria 100 anos nesta quarta. É uma heroína legítima num país de tantos falsos heróis
Rascunho

Curitiba - PR

No ano em que lançou o primeiro volume de suas memórias, “Uma terra prometida”, ex-presidente sugere alguns livros que mais o marcaram