Bizantinismo

“A hora veloz”, de Adelino Magalhães, concentra erros e acertos de uma linguagem fracionária
Adelino Magalhães, autor de “Íris”
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram
Exclusivo para assinantes

Escolha um plano de assinatura e aproveite todo nosso conteúdo.
R$ 7,90 (digital) e R$ 12,90 (digital + impresso).

Clique aqui para assinar

JÁ É ASSINANTE?

Entrar

Adelino Magalhães
Nasceu em Niterói (RJ), em 3 de setembro de 1887, e faleceu no mesmo local em 16 de julho de 1969. Estudou Medicina, formou-se em Direito, mas foi, durante 37 anos, professor de História e Geografia. Deixou: Visões, Cenas e perfis (1918), Tumulto da vida (1920), Os momentos (1931), Íris (1937), Plenitude (1939), Quebra-luz (1946), além de textos inéditos.

Rodrigo Gurgel

É escritor, editor e crítico literário.

Publicidade

Leia também

Rascunho

Curitiba - PR

Publicado pela primeira vez em 2000, romance de Ferréz que vendeu mais de 100 mil exemplares, passa a ser publicado pela Companhia das Letras
Rascunho

Curitiba - PR

O livro, uma adaptação do roteiro de “Era uma vez em… Hollywood”, mais recente longa-metragem do cineasta americano, será publicado no Brasil pela Intrínseca
Rascunho

Curitiba - PR

Em seu livro, Gustav Mayer passa pelos principais eventos da vida de um dos criadores do socialismo científico, que em 2020 tem seu bicentenário de nascimento comemorado
Tiago Germano

Porto Alegre - RS

Como Norwich, pequena cidade do interior da Inglaterra, tornou-se um polo mundial da literatura revelando escritores premiados com o Pulitzer, Booker Prize e até o Nobel