As dimensões da linguagem

Nos ensaios de "Na ponta da língua", Peter Brook passa por temas como atuação, espaço cênico e função do teatro
Peter Brook, autor de “Na ponta da língua — Reflexões sobre linguagem e sentido”
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram
01/05/2021
Exclusivo para assinantes

Escolha um plano de assinatura e aproveite todo nosso conteúdo.
R$ 7,90 (digital), R$ 12,90 (digital + impresso) e R$ 139,90 (digital + impresso anual).

Clique AQUI para assinar

JÁ É ASSINANTE?

Entrar

Na ponta da língua — Reflexões sobre linguagem e sentido
Peter Brook
Trad.: José Geraldo Couto
Edições Sesc
96 págs.
Peter Brook
É um dos mais renomados diretores de teatro de todos os tempos. Entre as montagens que realizou com maestria estão Tito Andrônico (1955, com Laurence Olivier), Rei Lear (1962, com Paul Scofield) e Sonho de uma noite de verão (1970, para a Royal Shakespeare Company). Também enveredou no universo cinematográfico, com O senhor das moscas (1963), Rei Lear (1970) e O Mahabharata (1989). Na escrita, entre outros livros, publicou O espaço vazio e Reflexões sobre Shakespeare.

Clayton de Souza

É escritor, autor do livro Contos Juvenistas.

Publicidade