A delícia do ponto final

Os poemas de "Arremate", de Armando Freitas Filho, têm a finitude como espinha dorsal e fazem alusões aos heróis literários do autor octogenário
Armando Freitas Filho, autor de “Arremate”
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram
01/05/2021
Exclusivo para assinantes

Escolha um plano de assinatura e aproveite todo nosso conteúdo.
R$ 7,90 (digital), R$ 12,90 (digital + impresso) e R$ 139,90 (digital + impresso anual).

Clique AQUI para assinar

JÁ É ASSINANTE?

Entrar

Arremate
Armando Freitas Filho
Companhia das Letras
301 págs.
Armando Freitas Filho
Nasceu no Rio de Janeiro (RJ), em 1940. Entre outros trabalhos ligados à cultura, foi pesquisador na Fundação Biblioteca Nacional e assessor no gabinete da presidência da Funarte. Vencedor dos prêmios Jabuti, Rio de Literatura e APCA, teve sua obra poética reunida em Máquina de escrever (2003).

Ramon Ramos

É autor de Tinta (2012), Caroço (2013), A vulnerabilidade como procedimento (2018).

Publicidade