Ensaios e Resenhas

Mark_Twain_243

Os bons companheiros

Por Marcos Hidemi de Lima

Mark Twain expressa o valor da liberdade e o horror à escravidão mesmo que suas personagens se valham de expressões e atitudes racistas

Jean-Claude Grumberg , autor de A mercadoria mais preciosa

Flores e espinhos

Por Matheus Lopes Quirino

Na fábula “A mercadoria mais preciosa”, Jean-Claude Grumberg mostra a importância do amor em meio ao Holocausto

Friedrich Dürrenmatt , autor de A promessa e A pane

A vil natureza humana

Por CLAYTON DE SOUZA

“A promessa e A pane”, de Friedrich Dürrenmatt, exploram o caráter ambivalente da justiça e do crime

Noemi_Jaffe_foto_1_Renato_Parada_243

Os gestos diminutos

Por Iara Machado Pinheiro

Em “O que ela sussurra”, Noemi Jaffe dá voz à personagem histórica Nadejda Mandelstam para criar uma narrativa calcada em lembranças e no poder da palavra

José Revueltas, autor de A gaiola

Vigiar e punir

Por Leandro Reis

“A gaiola”, de José Revueltas, escrita em uma prisão mexicana, acompanha a decadente trajetória de três detentos confinados numa cela de castigo

Felipe Holloway, autor de O legado de nossa miséria

Pirandello às avessas

Por Carla Bessa

No premiado “O legado de nossa miséria”, de Felipe Holloway, as fronteiras entre vida e literatura se diluem

Poeta Carlos Assumpção. Fotos Ricardo Benichio

Depois do cataclismo branco

Por RAFAEL ZACCA

A reunião de poemas “Não pararei de gritar”, de Carlos de Assumpção, reaviva o debate sobre herança e cânone literário

Bia Barros, autora de Madalena, Alice

Nos caminhos da memória

Por GISELE EBERSPÄCHER

Em Madalena, Alice, Bia Barros cria uma proposta estética para narrar os horrores do Alzheimer

Francisco Coelho Duarte Badaró_Fantina_242

Escravos do desejo

Por Faustino Rodrigues

“Fantina: cenas da escravidão”, do abolicionista Duarte Badaró, detalha os conflitos raciais que estão nas raízes do Brasil

Rubem Fonseca, escritor.

A grande arte de Rubem Fonseca

Por LUIZ REBINSKI

O escritor mineiro-carioca marcou seu nome entre os maiores da literatura brasileira ao modernizar nossa prosa com linguagem e histórias acessíveis

Sándor Márai_242

Esqueletos no armário

Por Jocê Rodrigues

Ao escrever sobre o sagrado matrimônio, Sándor Márai não usou luva de pelica e chutou o pau de muita barraca enquanto atirava pedra em tetos de vidro

Ana Guadalupe, autora de Preocupações

Véu da melancolia

Por Ramon Ramos

“Preocupações”, de Ana Guadalupe, apresenta uma voz poética sempre em movimento e marcada por signos da contemporaneidade