­čöô Pr├¬mio Sesc de Literatura lan├ža os livros vencedores de 2021

Fabio Horácio-Castro e Diogo Monteiro, ganhadores nas categorias Romance e Conto, participam de live no dia 08 de novembro
Diogo Monteiro e Fabio Horácio-Castro, vencedores do Prêmio Sesc 2021
02/11/2021

A editora Record publicou os dois livros vencedores do Pr├¬mio Sesc de Literatura 2021. O romance┬á O r├ęptil melanc├│lico, de Fabio Hor├ício-Castro, e o livro de contos O que a casa criou, de Diogo Monteiro ser├úo lan├žados oficialmente em uma live no dia 08, ├ás 19h, em evento virtual promovido pelo Sesc e pela Record, parceiros na premia├ž├úo. O encontro ser├í transmitido pelo Facebook e YouTube.

Haver├í tamb├ęm lan├žamentos presenciais em Bel├ęm, dia 12 de novembro, com o autor paraense Fabio Hor├ício-Castro, e no Recife, no dia 10 de novembro, com o pernambucano Diogo Monteiro.

Na live, os autores apresentam suas obras ao p├║blico e falam sobre o processo criativo e a expectativa em rela├ž├úo ao ingresso no mercado editorial. Os vencedores tamb├ęm v├úo dialogar sobre o conte├║do dos seus livros, a trajet├│ria de cada um deles na literatura e como conduzem o processo criativo. Al├ęm de ler trechos dos seus livros durante o evento.

Neste lan├žamento virtual, o p├║blico tamb├ęm poder├í rever os vencedores da edi├ž├úo de 2020, Ca├¬ Guimar├úes e T├┤nio Caetano, que participam do debate com os novos autores. Eles v├úo contar suas experi├¬ncias e como o Pr├¬mio contribuiu para divulgar seus trabalhos.

O romance O r├ęptil melanc├│lico, do jornalista e professor universit├írio Fabio Hor├ício-Castro,┬á fala de colonialidade, colonialismo e coloniza├ž├úo. A narrativa parte do retorno de Felipe para sua cidade, ap├│s longa estadia fora do pa├şs.

Ele seguira para o ex├şlio na primeira inf├óncia, levado por sua m├úe, militante pol├ştica perseguida e torturada pelo regime militar brasileiro. Nesse processo de retorno, reestabelece contato com sua fam├şlia paterna, particularmente com seu primo Miguel, que est├í fazendo o processo oposto: o de partir da cidade.

Já os contos de O que a casa criou, do pernambucano Diogo Rios Monteiro, tratam da possibilidade de encontrar o inusitado a qualquer momento, na virada de uma esquina ou no abrir de uma porta. São histórias sobre a fragilidade do real e do nosso confortável conceito de realidade, e sobre como a quebra dessa normalidade age sobre pessoas, lugares e coisas.

O que a casa criou
Diogo Monteiro
Record
128 págs.
O r├ęptil melanc├│lico
Fabio Horácio-Castro
Record
384 págs.
Rascunho

O┬áRascunho┬áfoi fundado em 8 de abril de 2000. Nacionalmente reconhecido pela qualidade de seu conte├║do, ├ę distribu├şdo em edi├ž├Áes mensais para todo o Brasil e exterior. Publica ensaios, resenhas, entrevistas, textos de fic├ž├úo (contos, poemas, cr├┤nicas e trechos de romances), ilustra├ž├Áes e HQs.

Rascunho