Omar Salomão analisa as possibilidades da poesia em novo livro

Em “Flutua sobre as ruínas, flutua”, poeta e artista plástico carioca investiga o trabalho de autores que expandiram os horizontes líricos
Omar Salomão, autor de “Flutua sobre as ruínas, flutua”
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram
23/09/2021

No livro Flutua sobre as ruínas, flutua, lançado pela Cobogó, o carioca Omar Salomão investiga como a produção de Mira Schendel, Edgar Braga e Waly Salomão transita no limiar entre o gráfico e o poético.

O pontapé inicial para o livro, fruto da dissertação de mestrado do autor, foi dado a partir de um título pinçado aleatoriamente em sua estante: Ruptura dos gêneros na literatura latino-americana, de Haroldo de Campos.

Na obra de Campos, o artista plástico e poeta descobriu um interesse: “investigar a forma como conteúdo, a rasura e o vestígio como escrita poética, outras alternativas que não a letra diagramada sobre o cubo branco da página do poema”.

No posfácio de Flutua sobre as ruínas, flutua, a professora de Filosofia da UERJ Rosa Maria Dias anota que “Omar pensa a construção do poema sobre ruínas, como resultado de acumulação, um texto em que as estruturas estão abertas”.

Omar Salomão nasceu no Rio de Janeiro (RJ), em 1983. É mestre em Literatura, Cultura e Contemporaneidade e faz doutorado em Harvard. Publicou os livros Pequenos reparos (2017) e Impreciso (2011), entre outros.

Flutua sobre as ruínas, flutua
Omar Salomão
Cobogó
216 págs.

Rascunho

Rascunho foi fundado em 8 de abril de 2000. Nacionalmente reconhecido pela qualidade de seu conteúdo, é distribuído em edições mensais para todo o Brasil e exterior. Publica ensaios, resenhas, entrevistas, textos de ficção (contos, poemas, crônicas e trechos de romances), ilustrações e HQs.

Últimas edições

Publicidade

Publicidade