Fantasmas habitam novo livro de Leonardo Gandolfi

Carregados de afetos e melancolia, poemas de “Robinson Crusoé e seus amigos” trazem nonsense, humor paródico e gênios em garrafas pet
Leonardo Gandolfi, autor de “Robinson Crusoé e seus amigos”
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram
09/09/2021

Nos poemas do livro Robinson Crusoé e seus amigos, lançado pela Editora 34, Leonardo Gandolfi elabora algumas figuras curiosas, como gênios em garrafas pet e a mosca Albertina quebrando a cabeça com a Teoria da Relatividade.

“A questão não é exorcizar os fantasmas, nem ser assombrado por eles, mas ver as coisas quebradas e precisar inventar novas formas de brincar”, escreve Filipe Manzoni no texto de orelha, reiterando que há dois universos constantes na obra de Gandolfi: o infantil (muitas vezes pateta) e o inquietante.

Leonardo Gandolfi nasceu no Rio de Janeiro (RJ), em 1981. É professor, poeta e um dos idealizadores da Luna Parque Edições. Publicou Escala Richter (2015), A morte de Tony Bennett (2010) e No entanto d’água (2006), entre outros livros. Vive em São Paulo (SP).

Robinson Crusoé e seus amigos
Leonardo Gandolfi
Editora 34
120 págs.

Rascunho

Rascunho foi fundado em 8 de abril de 2000. Nacionalmente reconhecido pela qualidade de seu conteúdo, é distribuído em edições mensais para todo o Brasil e exterior. Publica ensaios, resenhas, entrevistas, textos de ficção (contos, poemas, crônicas e trechos de romances), ilustrações e HQs.

Últimas edições

Publicidade

Publicidade