Ana Elisa Ribeiro reúne crônicas em “Doida pra escrever”

Livro tenta captar o sentimento que acomete a autora mineira após uma semana cheia de atividades que, apesar de massacrantes, pagam os boletos
Ana Elisa Ribeiro, autora de “Doida pra escrever”
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram
26/08/2021

Nos textos do livro Doida pra escrever, lançado pela Moinhos, a cronista do Rascunho Ana Elisa Ribeiro demonstra o alívio de, após uma semana cheia de atividades massacrantes, ter tempo para produzir literatura — seja um conto, uma crônica ou um poema.

O conjunto, terceiro de crônicas publicado pela autora mineira, parece embalado pela máxima kafkiana: “Tudo o que não é literatura me aborrece”. A vida, porém, exige que os boletos sejam pagos. E a ficção, infelizmente, dificilmente cumpre esse papel.

“As letras da Ana Elisa são feitas de cores (muitas) e de imagens quase sempre analógicas — imagens sem filtro, como nas fotos que revelavam tanto de nós, quando reveladas”, escreve Claudia Tajes sobre o estilo da escritora.

Ana Elisa Ribeiro é professora e transita por vários gêneros literários. Publicou Romieta e Julieu: tecnotragédia amorosa (infantojuvenil, 2021), Dicionário de imprecisões (poesia, 2019), Renascença (crônica, 2018) e Beijo, boa sorte (contos, 2017), entre outros livros.

Doida pra escrever
Ana Elisa Ribeiro
Moinhos
160 págs.

Rascunho

Rascunho foi fundado em 8 de abril de 2000. Nacionalmente reconhecido pela qualidade de seu conteúdo, é distribuído em edições mensais para todo o Brasil e exterior. Publica ensaios, resenhas, entrevistas, textos de ficção (contos, poemas, crônicas e trechos de romances), ilustrações e HQs.

Últimas edições

Publicidade

Publicidade