Poemas de Amy Clampitt

Leia os poemas traduzidos "Das desvantagens do aquecimento central", "Neblina", "Escrito na água", "Testemunha", "Dançarinos praticando"
Amy Clampitt, poeta e escritora americana
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram
30/03/2019
Exclusivo para assinantes

Escolha um plano de assinatura e aproveite todo nosso conteúdo.
R$ 7,90 (digital), R$ 12,90 (digital + impresso) e R$ 139,90 (digital + impresso anual).

Clique AQUI para assinar

JÁ É ASSINANTE?

Entrar

Amy Clampitt
Amy Clampitt (1920-1994), nascida numa fazenda em Iowa, levou décadas até publicar seus primeiros poemas e despontar na cena cultural nova-iorquina. Mas, quando finalmente estreou na revista The New Yorker, a repercussão foi explosiva. O primeiro de seus cinco livros sairia em 1983, com ela já sexagenária. E, quando morreu, catorze anos depois, não mais do que cinco livros haviam sido publicados, todos eles, porém, aclamados pela crítica. A poesia de Clampitt é delicada e lírica, mas não é fácil, como admitiu sua amiga, a poeta Mary Jo Salter, que, no prefácio do póstumo Collected poems, escreveu que é impossível ler Clampitt sem a ajuda de um dicionário. E eu nem precisaria acrescentar que é uma poesia dificílima de traduzir.

André Caramuru Aubert

Nasceu em 1961, São Paulo (SP). É historiador formado pela USP, editor, tradutor e escritor. Autor de Outubro/DezembroA vida nas montanhas e Cemitérios, entre outros.

Últimas edições

Publicidade

Publicidade

Rascunho