A negra cor das palavras

Em seu sexto conjunto de versos, Alexandra Vieira de Almeida busca explorar a riqueza suscitada pelas reflexões sobre o negro e o branco
A negra cor das palavras
Alexandra Vieira de Almeida
Penalux
102 págs.
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram

Em seu sexto conjunto de versos, Alexandra Vieira de Almeida busca explorar a riqueza suscitada pelas reflexões sobre o negro e o branco — cores diametralmente opostas na escala cromática, mas muito mais complexas no plano da vida. Para além de sugerir como elas podem ser complementares, a poeta carioca traz a metáfora para o plano social e, através de símbolos e analogias, trabalha todo o potencial de uma raça há muito oprimida.

Rascunho

Rascunho foi fundado em 8 de abril de 2000. Nacionalmente reconhecido pela qualidade de seu conteúdo, é distribuído em edições mensais para todo o Brasil e exterior. Publica ensaios, resenhas, entrevistas, textos de ficção (contos, poemas, crônicas e trechos de romances), ilustrações e HQs.

Publicidade

Leia também

Rascunho

Curitiba - PR

Entre os selecionados, há sete brasileiros: Julián Fuks, Maria Valéria Rezende, Julia de Souza, Veronica Stigger, Itamar Vieira Junior, Tiago D. Oliveira e José Rezende Jr.
Gisele Eberspächer

Curitiba - PR

Autora do primeiro livro escrito em árabe a vencer o The International Booker Prize, Jokha Alharthi acredita na potência transformadora da boa literatura
Rascunho

Curitiba - PR

Em texto, senador chama de “nefasta” a cobrança de tributação de 12% sobre os livros proposta pelo governo federal na reforma tributária
Rascunho

Curitiba - PR

Caê Guimarães e Tônio Caetano, ganhadores nas categorias Romance e Conto,
participam de live nesta terça-feira (24), com transmissão pelo YouTube e Facebook