O que pulsa em detalhes é o todo

A mescla de memória, atenção aos detalhes e erudição faz de ensaios de James Wood leitura imprescindível
James Wood, autor de “A coisa mais próxima da vida”
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram
30/12/2017
Exclusivo para assinantes

Escolha um plano de assinatura e aproveite todo nosso conteúdo.
R$ 7,90 (digital) e R$ 12,90 (digital + impresso).

Clique aqui para assinar

JÁ É ASSINANTE?

Entrar

A coisa mais próxima da vida
James Wood
Trad.: Célia Euvaldo
Sesi-SP Editora
128 págs.
Como funciona a ficção
James Wood
Trad.: Denise Bottmann
Sesi-SP Editora
232 págs.
James Wood
Nasceu em Durham, Inglaterra, em 1965. Mudou-se para os Estados Unidos na década de 90. Escreve para a revista The New Yorker e é professor de crítica literária na Universidade Harvard. Em 2009, venceu o National Magazine Award, na categoria resenhas e críticas.

André Argolo

É jornalista e pós-graduado em Formação de Escritores pelo ISE Vera Cruz (São Paulo). Autor do livro de poemas Vento sudoeste.

Publicidade

Leia também

Rascunho

Curitiba - PR

A autora do livro “Pai em dobro”, adaptado recentemente para o cinema, conversa nesta quinta-feira (18) com o presidente da Livraria da Vila, Samuel Seibel
Rascunho

Curitiba - PR

“Vivendo como uma Runaway” narra a trajetória — em grupo e como artista solo — da guitarrista da primeira banda de rock formada somente por mulheres
Rascunho

Curitiba - PR

Os textos de “Les soixante-quinze feuillets” faziam parte de uma coleção de documentos mantida pelo editor Bernard de Fallois, morto em 2018
Rascunho

Curitiba - PR

Romance “Um dia chegarei a Sagres” é ponto de partida para a escritora carioca discutir seu fazer literário; encontro acontece no dia 26, às 18h