Quatro passos sobre o vazio

A obra se apoia na ideia de que a literatura é capaz de compreender coisas que a ciência demora para provar
Quatro passos sobre o vazio
Marcia Tiburi
Nós
64 págs.
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram

Em quatro breves narrativas que flertam com a distopia, a escritora e filósofa gaúcha cria um microcosmo literário para explorar o significado do amor em um tempo incerto, flerta com textos shakespearianos e propõe inúmeras interrogações por meio da solidão de seus personagens. A obra, surgida a partir de um desenho que a autora fez para compreender as comparações freudianas entre Édipo e Hamlet, parece se apoiar na ideia de que a literatura é capaz de compreender coisas que a ciência demora para provar.

Rascunho

Rascunho foi fundado em 8 de abril de 2000. Nacionalmente reconhecido pela qualidade de seu conteúdo, é distribuído em edições mensais para todo o Brasil e exterior. Publica ensaios, resenhas, entrevistas, textos de ficção (contos, poemas, crônicas e trechos de romances), ilustrações e HQs.

Publicidade

Leia também

Luiz Rebinski

Curitiba - PR

Alegoria sobre a condição judaica, romance é o ponto alto da obra de Moacyr Scliar, que se notabilizou pela linguagem clara e grande imaginação
Rascunho

Curitiba - PR

“Memórias do Brasil”, que vai ao ar nesta sexta-feira (30), traz depoimentos de escritores e amigos do autor amazonense
Rascunho

Curitiba - PR

Autor dos quadrinhos “The Sandman” participa do painel Thunder Arena, falando sobre sua carreira e as adaptações de suas obras para outros formatos
Rascunho

Curitiba - PR

“Ponha-se no seu lugar!”, da escritora e pesquisadora Ana Pacheco, é uma releitura do conto clássico O nariz, de Nikolai Gógol, escrito em 1836