O fazedor de velhos 5.0

Num casamento infeliz e três filhos, o personagem vai constatar que a autodescoberta e o amadurecimento talvez permeiem todas as idades
O fazedor de velhos 5.0
Rodrigo Lacerda
Companhia das Letras
312 págs.
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram
01/10/2020

Mais de dez anos separam O fazedor de velhos (2008), quando a história de Pedro começou a ser contada, deste romance de formação mais recente, lançado em fevereiro de 2020. Se anteriormente o leitor acompanhou a passagem do protagonista à vida adulta, com todas as dúvidas típicas dessa fase, nesta versão 5.0 as coisas não mudaram tanto assim — interiormente, pelo menos. Cinco décadas são o bastante para acumular tristezas e fracassos, sobretudo no Brasil, e a vida de Pedro não foge à regra. Com um casamento infeliz e três filhos muito diferentes entre si, o personagem vai constatar que a autodescoberta e o amadurecimento talvez permeiem todas as idades. Gente como o líder estudantil José Roberto e a excêntrica milionária Filomena ronda as páginas desta narrativa de fôlego, que parece mostrar as diversas facetas possíveis dentro de um país de dimensões continentais e hostilmente dividido desde as manifestações que tomaram as ruas em 2013.

Rascunho

Rascunho foi fundado em 8 de abril de 2000. Nacionalmente reconhecido pela qualidade de seu conteúdo, é distribuído em edições mensais para todo o Brasil e exterior. Publica ensaios, resenhas, entrevistas, textos de ficção (contos, poemas, crônicas e trechos de romances), ilustrações e HQs.

Publicidade