Maboque

Romance de estreia de Tina Vieira, Maboque — nome de um fruto agridoce muito comum em Luanda — narra o processo de autodescoberta de Leonor
Maboque
Tina Vieira
Quelônio
168 págs.
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram

Romance de estreia de uma autora angolana radicada no Brasil, Maboque — nome de um fruto agridoce muito comum em Luanda — narra o processo de autodescoberta de Leonor. A jornada começa com a morte do pai da protagonista, em Portugal, e se desdobra em outros dois continentes. A partir de cartas deixadas pelo falecido, a filha revisita a infância do pai na África e descobre que ele tinha uma família no Brasil. É assim que, na segunda parte da narrativa, a personagem parte para o Rio de Janeiro a fim de encontrar essas pessoas que estavam, mesmo sem ela saber, intimamente ligadas à sua história. Em terras brasileiras, por fim, Leonor experimenta revelações que mudam sua forma de ver as coisas, tornando aquele mundo desconhecido apreensível. Para Joselia Aguiar, que assina a orelha do livro, a autora “vasculha o interior das coisas e das pessoas, entra em sua intimidade e desconcerta ao revelar aquilo que poucos apenas insinuam”.

Rascunho

Rascunho foi fundado em 8 de abril de 2000. Nacionalmente reconhecido pela qualidade de seu conteúdo, é distribuído em edições mensais para todo o Brasil e exterior. Publica ensaios, resenhas, entrevistas, textos de ficção (contos, poemas, crônicas e trechos de romances), ilustrações e HQs.

Publicidade

Leia também

Rascunho

Curitiba - PR

Chamado de CelebraLetras, o evento vai promover bate-papos, dicas de livros, venda de exemplares autografados, lives e podcasts
Rascunho

Curitiba - PR

Fábula sobre o ciclo da cigarra, livro quer instigar em adultos e crianças uma reflexão a respeito da natureza e da maneira como nos relacionamos com ela
Vivian Schlesinger

São Paulo - SP

“Quinquilharias e recordações” mostra o contexto histórico em que nasceu e cresceu a polonesa Wislawa Szymborska, ganhadora do Nobel de Literatura
Giovana Madalosso

São Paulo - SP

Sempre me orgulhei de ser honesta com a minha filha, desde quando ela nem sabia o que era a palavra honestidade