Símbolos e metáforas marcam o novo romance de Leonardo Valente

Na complexa narrativa de “criogenia de D. ou manifesto pelos prazeres perdidos”, lançado pela Mondrongo, uma voz pouco confiável conta suas desventuras
Leonardo Valente, autor de “criogenia de D. ou manifesto pelos prazeres perdidos”
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram
15/06/2021

“a intenção inicial deste livro era ser poço, mas virou espelho e agora vai ser gelo”, diz a voz que narra o romance criogenia de D. ou manifesto pelos prazeres perdidos, do carioca Leonardo Valente, lançado pela Mondrongo.

Não se sabe se é um homem ou uma mulher a contar suas desventuras, em tom que resvala no escárnio e na normalização do absurdo, mas há algumas possíveis certezas sobre o universo narrado: há cinco maridos no passado da personagem, todos chamados Damião, e um catecismo que não lhe impediu de seguir pecando.

Seja como for, a voz anuncia, “minto tanto que às vezes não sei diferenciar a realidade do que inventei. (…) minto para mim antes de mentir para qualquer outro, mas também minto para fora”. Nesse jogo de sombras, fica por conta do leitor a crença que será depositada na história.

Além da narrativa complexa, o livro joga com os elementos gráficos para incrementar a narrativa. Há páginas inteiras que trazem somente a palavra “pausa” ou “foda-se”, por exemplo, e outras em que o texto está centralizado — “centralizo, pois é importante”.

“Uma narrativa repleta de referências e perfeitamente integrada, mas que consegue descrever a desintegração pela qual estamos passando. Genial”, anota Maria Valéria Rezende em um dos comentários na quarta capa.

Leonardo Valente nasceu em Niterói (RJ), em 1974. Publicou os livros O beijo da Pombagira (2019) e Apoteose (2018). No ano passado, lançou Calote e foi um dos organizadores da coletânea Antifascistas.

criogenia de D. ou manifesto pelos prazeres perdidos
Leonardo Valente
Mondrongo
129 págs.

Rascunho

Rascunho foi fundado em 8 de abril de 2000. Nacionalmente reconhecido pela qualidade de seu conteúdo, é distribuído em edições mensais para todo o Brasil e exterior. Publica ensaios, resenhas, entrevistas, textos de ficção (contos, poemas, crônicas e trechos de romances), ilustrações e HQs.

Publicidade