Márwio Câmara estreia no romance

Em “Escobar”, o professor e escritor carioca elabora uma narrativa labiríntica em torno das complexidades do amor e do desejo
Márwio Câmara, autor de “Escobar”
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram
29/03/2021

Uma morte trágica é ponto de partida de Escobar, romance de estreia do carioca Márwio Câmara. Na obra, movido pelo choque causado pela partida de um amigo, o personagem-título revê acontecimentos marcantes de seus últimos meses, iniciando uma narrativa labiríntica e que gira em torno das complexidades do amor e do desejo.

“estou aqui reunindo todos os fragmentos de uma experiência pessoal para ordená-los de forma que este relato soe de maneira minimamente lúcida e concreta”, anota o narrador no início do romance.

Em um misto de diário, poesia e roteiro cinematográfico, a trama ainda se desenvolve ao explorar a estranha obsessão do personagem pela poeta R. e sua amizade com Bruno, um melancólico homossexual não assumido.

Nascido em 1989, Câmara é bacharel em Comunicação Social, licenciado em Letras e pós-graduado em Estudos Linguísticos e Literários. Colabora com o Rascunho e é autor do livro de contos Solidão e outras companhias (2017).

Escobar
Márwio Câmara
Moinhos
130 págs.

Rascunho

Rascunho foi fundado em 8 de abril de 2000. Nacionalmente reconhecido pela qualidade de seu conteúdo, é distribuído em edições mensais para todo o Brasil e exterior. Publica ensaios, resenhas, entrevistas, textos de ficção (contos, poemas, crônicas e trechos de romances), ilustrações e HQs.

Publicidade