Depressão é personagem do novo livro de Christian Dunker

Em “Uma biografia da depressão”, o psicanalista paulistano retrata a doença como uma entidade real, mostrando seu protagonismo na modernidade
Christian Dunker, autor de “Uma biografia da depressão”
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram
22/02/2021

Por meio do selo Paidós, a Planeta acaba de lançar Uma biografia da depressão. No livro, o psicanalista Christian Dunker trata a doença como uma entidade real, mostrando seu protagonismo na modernidade.

Para dar densidade ao seu personagem, a depressão, o autor buscou documentos que comprovam sua existência e atestam seus efeitos, sem deixar de falar sobre toda subjetividade que acompanha essa condição psicológica.

Professor titular do departamento de Psicologia Clínica do Instituto de Psicologia da USP, Dunker ganhou duas vezes o Prêmio Jabuti — com Mal-estar, sofrimento e sintoma (2016) e Estrutura e constituição da clínica psicanalítica (2012).

A arte da quarentena para principiantes (2020), Reinvenção da intimidade: políticas do sofrimento cotidiano (2017) e Por que Lacan? (2016) são algumas de suas publicações mais recentes.

Uma biografia da depressão
Christian Dunker
Planeta
240 págs.

Rascunho

Rascunho foi fundado em 8 de abril de 2000. Nacionalmente reconhecido pela qualidade de seu conteúdo, é distribuído em edições mensais para todo o Brasil e exterior. Publica ensaios, resenhas, entrevistas, textos de ficção (contos, poemas, crônicas e trechos de romances), ilustrações e HQs.

Publicidade

Leia também

Rascunho

Curitiba - PR

Eric Nepomuceno: “O que me dá mais prazer? Ora, primeiro escrever a história que rondava minha alma há meses, às vezes há anos. E depois, cortar, cortar.”
Rascunho

Curitiba - PR

Os autores conversam no Instagram, nesta quinta (25) e sexta (26), com Samuel Seibel, presidente da Livraria da Vila, que realiza o encontro
Carolina Vigna

São Paulo - SP

Prefiro ler com facilidade e não enxergar todo o resto. O mundo anda feio, sem graça, doente, mentiroso. A literatura nunca me falhou
Rascunho

Curitiba - PR

Expoente do estoicismo, ao lado de nomes como do imperador Marco Aurélio, “Manual de Epicteto” traz 53 aforismos deste respeitado sábio da antiguidade