Carioca Rosália Milsztajn comemora 30 anos de literatura com novos poemas

“Puro cristal”, que traz textos dos críticos Ricardo Vieira Lima e Adriano Espíndola, é a sexta coletânea de poesia da autora desde 1991, quando estreou
Rosália Milsztajn, autora de “Puro cristal”
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram
30/07/2021

Com 30 anos de vida literária, a carioca Rosália Milsztajn lança agora seu sexto livro de poemas, Puro cristal, editado pela 7Letras. O livro sai exatamente três décadas depois da sua primeira coletânea de poesia, No azul (Imago), lançada em 1991, quando a autora tinha 40 anos.

A obra é apresentada pelo escritor e crítico literário Ricardo Vieira Lima, e traz texto de orelha do poeta, professor e crítico Adriano Espínola.

Puro cristal é composto por 36 poemas elencados sem as tradicionais divisões por temas comuns em livros de poesia. O texto de abertura, que dá título à obra, é o único em prosa. Ele funciona como um prólogo, no qual o cristal em questão, no lugar de brilhar, “corta como faca afiada” uma dor que, ávida, consome (e corrói) absolutamente tudo — à exceção da poesia.

A poeta abre sua voz de forma branda, cantando coisas cotidianas. Um exemplo está no tríptico formado pelos poemas Todo dia eu vou à praia; Todo dia eu tomo café e Todo dia que me sento à mesa.

A poeta tem um olho no passado e outro no presente. O que ficou conhecida como a “Noite dos Cristais”, quando, em 1938, na Alemanha, judeus tiveram sinagogas, lojas e suas casas destruídas de forma brutal e covarde, inspira um dos mais comoventes textos do livro, no qual suas “palavras agora são músculos\cultivados na academia dos sofrimentos ancestrais”. Do passado, ela segue para o presente, mostrando que pouco (ou nada) mudou: “Só os mortos contamos\não temos com quem contar!” (Cantam as vassouras).

Rosália Milsztajn é escritora, médica e psicanalista, autora de oito livros. Estreou com No azul (Imago, 1991) e, como poeta, lançou Itgadal — Memória dos ausentes (Diadorim, 1997); Luminosidades (7Letras, 2000); Aqui dentro de mim (Aeroplano, 2003) e Esse recorte (Patuá, 2014). Por esse último, ganhou em 2016 o Prêmio Literário Nacional do Pen Clube do Brasil na categoria Poesia.

Publicou também os livros de contos A história dos seios (7Letras, 2010) e Era uma vez e outros contos” (2018), além do infantil Não briga comigo (Ibis Libris, 2019).

Puro cristal
Rosália Milsztajn
7 Letras
88 págs.

Rascunho

Rascunho foi fundado em 8 de abril de 2000. Nacionalmente reconhecido pela qualidade de seu conteúdo, é distribuído em edições mensais para todo o Brasil e exterior. Publica ensaios, resenhas, entrevistas, textos de ficção (contos, poemas, crônicas e trechos de romances), ilustrações e HQs.

Últimas edições

Publicidade

Publicidade