André Sant’Anna retrata a loucura do Brasil em novo livro

Nas histórias de “Discurso sobre a metástase”, autor mineiro se apoia no absurdo para tentar captar a realidade de um país doente
André Sant’Anna, autor de “Discurso sobre a metástase”
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram
30/07/2021

As histórias de Discurso sobre a metástase, em pré-venda pela Todavia, colocam André Sant’Anna novamente em circulação. O autor mineiro estava há seis anos, desde O Brasil é bom (2014), sem lançar livro.

A nova publicação, a exemplo da anterior, vem para retratar a loucura e a tragédia de um país em ruínas. Os aliados de Sant’Anna nessa missão são o humor absurdo e um trabalho de linguagem radical — as únicas ferramentas capazes de captar a grotesca realidade brasileira.

No romance O paraíso é bem bacana (2006), vale lembrar, André parece ter dado o pontapé inicial na radicalização de sua linguagem literária — com muitas repetições, gírias, obsessões, ironia — ao contar a história do tímido jogador de futebol Mané, um menino que se explode feito homem-bomba e vai viver as mil e uma maravilhas que o título da obra sugere.

André Sant’Anna nasceu em Belo Horizonte (MG), em 1964. Estreou na literatura com Amor, de 1998, e publicou outros seis livros — incluindo o novo, Discurso sobre a metástase.

Discurso sobre a metástase
André Sant’Anna
Todavia
216 págs.

Rascunho

Rascunho foi fundado em 8 de abril de 2000. Nacionalmente reconhecido pela qualidade de seu conteúdo, é distribuído em edições mensais para todo o Brasil e exterior. Publica ensaios, resenhas, entrevistas, textos de ficção (contos, poemas, crônicas e trechos de romances), ilustrações e HQs.

Últimas edições

Publicidade

Publicidade