Ilusões (quase) perdidas

Clássico da literatura italiana, "A ilha de Arturo" narra as angústias e sonhos de um jovem em busca de amadurecimento
Elsa Morante, autora de A ilha de Arturo
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram
29/05/2020
Exclusivo para assinantes

Escolha um plano de assinatura e aproveite todo nosso conteúdo.
R$ 7,90 (digital) e R$ 12,90 (digital + impresso).

Clique aqui para assinar

JÁ É ASSINANTE?

Entrar

A ilha de Arturo
Elsa Morante
Trad.: Roberta Barni
Carambaia
381 págs.
Elsa Morante
Nasceu em Roma, na Itália, em 1912. Ainda na infância começou a escrever fábulas e pequenas narrativas, publicadas em suplementos infantis de jornais de grande circulação. Contista, romancista e ensaísta, ganhou prêmios de prestígio, como o Viareggio, por Menzogna e sortilegio (1948), e o Strega, por A ilha de Arturo (1957). Em 2017, a Âyiné publicou a coletânea de ensaios Pró ou contra a bomba atômica (1987). Morreu em 1985.

Iara Machado Pinheiro

É jornalista e mestre em teoria literária.

Publicidade

Leia também

Luiz Rebinski

Curitiba - PR

Pilar Quintana, autora do elogiado "A cachorra", venceu prêmios em seu país e no exterior com uma escrita simples, mas cheia de significados
Mariana Ianelli

São Paulo - SP

A tristeza e o sofrimento das muitas obras de arte que convivem com a sujeira de declarações execráveis deste governo do absurdo
Rascunho

Curitiba - PR

Trajetória do artista carioca, expoente do modernismo no Brasil, integra a coleção “Contando a arte”, da Global; livro é assinado por Angela Braga-Torres
Carola Saavedra

Colônia - Alemanha

Uma conversa com Daniel Munduruku sobre a experiência indígena na arte, a força da literatura oral, as amarras do cânone e a necessidade de se reconectar com a natureza