Inquérito

agosto 2013 / Inquérito / Retroescrever

Texto publicado na edição #160

Retroescrever

Nascido em Juazeiro do Norte (CE) e radicado no Recife (PE), foi na sua cidade natal, em 1976, que Sidney […]

> Por RASCUNHO

Sidney Rocha

Sidney Rocha

Nascido em Juazeiro do Norte (CE) e radicado no Recife (PE), foi na sua cidade natal, em 1976, que Sidney Rocha conta ter ingressado na literatura. Desde então, vieram o romance Sofia — Uma ventania para dentro —Prêmio Osman Lins de Romance em 1985 e republicado em 2005 — e os contos de Matriuska (2009) e O destino das metáforas (2011), vencedor do Jabuti. Neste último, Rocha, que integra a coletânea Geração Zero Zero, aborda a tragédia e a degradação profunda dos personagens, e toma para si a tarefa de nocautear o leitor em cada um dos dezessete contos do livro. Neste Inquérito, o escritor, que prepara um novo romance, A morte a todos destruirá, segue a metáfora de Cortázar e dá respostas certeiras sobre o ofício do escritor e as possibilidades da ficção.

Quando se deu conta de que queria ser escritor?
Ao ler Memórias e confissões íntimas de um pecador justificado[de James Hogg]. 

• Quais são suas manias e obsessões literárias?
Retroscrever: relescrever: reescrever: retroescrever.

Que leitura é imprescindível no seu dia-a-dia?
Adalberto, o grande escritor, personagem do meu novo livro.

• Se pudesse recomendar um livro à presidente Dilma, qual seria?
A Constituição.

• Quais são as circunstâncias ideais para escrever?
Todas são igualmente boas e más.

• Quais são as circunstâncias ideais de leitura?
Conforto e luz encanada.

O que considera um dia de trabalho produtivo?
Vinte e quatro páginas prontas para imprimir.

• O que lhe dá mais prazer no processo de escrita?
Terminar.

Qual o maior inimigo de um escritor?
A vaidade.

O que mais lhe incomoda no meio literário?
A ausência da literatura. 

Um autor em quem se deveria prestar mais atenção.
Sidney Rocha.

Um livro imprescindível e um descartável.
A Bíblia e o Corão, não literalmente nessa ordem (ou caos).

Que defeito é capaz de destruir ou comprometer um livro?
A pressa.

Que assunto nunca entraria em sua literatura?
As boas maneiras.

• Qual foi o canto mais inusitado de onde tirou inspiração?
O do quetzal.

• Quando a inspiração não vem…
O cheque volta.

• Qual escritor — vivo ou morto — gostaria de convidar para um café?
Voltaire.

O que é um bom leitor?
O que compra meus livros.

• O que te dá medo?
Encierro de San Fermín.

• O que te faz feliz?
Uma viagem aos Andes.

Qual dúvida ou certeza guia seu trabalho?
“Alguém vai realmente ler isso?”
“Não.” 

• Qual a sua maior preocupação ao escrever?
Escrever.

A literatura tem alguma obrigação?
Não.

Qual o limite da ficção?
Nenhum.

• Se um ET aparecesse na sua frente e pedisse “leve-me ao seu líder”, a quem você o levaria?
?.

• O que você espera da eternidade?
Que volte logo.

Print Friendly

Uma resposta para “Retroescrever”

  1. Renata Soares disse:

    Oi! Adorei a postagem e achei demais o seu blog!
    Muito agradecida pelas dicas.

    Renata

Deixe uma resposta