RAIMUNDO CARRERO

Graciliano Ramos, autor do clássico Vidas secas

Sem artesanato e técnica no romance, impossível

Por RAIMUNDO CARRERO

O uso da linguagem equivocada enriquece a linguagem erudita

Ariano Suassuna, criador do Movimento Armorial

O destino artesanal do romance

Por RAIMUNDO CARRERO

A prosa literária, inevitavelmente, é uma produção artesanal

percy-lubbock

O leitor também é romancista. E o crítico?

Por RAIMUNDO CARRERO

Devemos ser óbvios: toda obra de arte ficcional é feita para o leitor

Umberto Eco, escritor italiano

A respiração narrativa

Por RAIMUNDO CARRERO

Quem já leu o pós-escrito a O nome da rosa, de Umberto Eco, deve ter observado com atenção a técnica […]

tolstoi_200

O erro narrativo de Tolstói

Por RAIMUNDO CARRERO

Para escrever é preciso verificar os efeitos internos da ficção de forma a seduzir o leitor

joao-cabral

O cordel na literatura brasileira

Por RAIMUNDO CARRERO

O folheto de cordel tem uma influência fundamental e definitiva na literatura erudita brasileira

Gilvan Lemos, autor do romance Noturno sem música

Assim nasce o tom da narrativa

Por RAIMUNDO CARRERO

Escrever um romance corresponde a compor uma partitura

Ilustração: Carolina Vigna

O começo é o fim

Por RAIMUNDO CARRERO

Início e fim consistentes são fundamentais para o êxito da narrativa

Ilustração: Tereza Yamashita

Personagem — a metáfora em ação

Por RAIMUNDO CARRERO

O mundo de Kafka é feito de muitas metáforas e muitas imagens

Ilustração: Carolina Vigna

Múltiplos narradores

Por RAIMUNDO CARRERO

A técnica para o uso de vários narradores no romance

Henry Miller, autor da  trilogia A crucificação encarnada

A não-técnica é também uma opção técnica do narrdor

Por RAIMUNDO CARRERO

Quando o autor precisa renunciar a toda a técnica que conhece

Ilustração: Rafa Camargo

A montagem é o segredo da história

Por RAIMUNDO CARRERO

Depois do começo, o escritor iniciante encontra-se com um dilema: como desenvolver a história