Vidraça

Bartolomeu, Amado, portugueses no Brasil e Coelho contra Sopa na Vidraça de fevereiro
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram
"A literatura pode ser um espaço bonito do reencontro, da conversa, do deslanchar para outras coisas, para outras confidências.”

 

Bartolomeu
O escritor mineiro Bartolomeu Campos de Queirós faleceu na madrugada do dia 16 de janeiro, aos 67 anos de idade. Autor de cerca de 40 livros, recebeu os mais importantes prêmios nacionais e internacionais por sua obra infanto-juvenil, à qual se juntou, em 2011, Vermelho amargo, seu primeiro romance. Queirós participou do ProLer e foi um dos idealizadores do Movimento por um Brasil Literário, projetos de incentivo à leitura que refletem sua crença de que a literatura “pode fazer uma sociedade mais cheia de compaixão, de respeito mútuo”, como afirmou em sua participação no Paiol Literário, em junho do ano passado. O escritor mineiro deixou um manuscrito inédito que será publicado pela Cosac Naify.

 

Pessoa em imagens
Mais de 400 imagens — entre fotos, manuscritos, documentos, cartas e obras de arte — compõem a Fotobiografia de Fernando Pessoa, organizada pelo português Joaquim Vieira e publicada pela Companhia das Letras. Nela, a pesquisa documental e o texto do norte-americano Richard Zenith refazem o percurso do poeta, apresentando o homem que daria voz a múltiplas personalidades.

Queiroz fotografado
Já a cronologia da vida e da obra de Eça de Queiroz é apresentada em cerca de 700 imagens reunidas por A. Campos Matos em fotobiografia do escritor. Matos publicou mais de dez livros sobre Eça e sua obra, além de ter organizado um volume de correspondências entre ao autor de Os Maias e sua esposa, Emília de Castro.

Dicta&Contradicta
A oitava edição da revista semestral de ensaios e debates traz textos sobre as diferentes faces do ateísmo em Dostoievski, a obra póstuma do escritor norte-americano David Foster Wallace e as peças teatrais de Tom Stoppard. A publicação do Instituto de Formação e Educação em parceria com a editora Civilização Brasileira oferece ainda análises sobre cinema, música, teologia, história e um ensaio que apresenta a dependência química como um problema moral.

 

Arte & Letra O
Nova edição da revista de literatura Arte & Letra inclui contos de Joseph Conrad, Robert Luis Stevenson, Luiz Felipe Leprevost e dos colunistas do Rascunho Carola Saavedra e Luiz Bras, entre outros autores. As ilustrações ficam por conta do curitibano André Ducci. A publicação pode ser encontrada no site da editora.

No estrangeiro
Outros nove títulos somam-se aos 28 previamente selecionados pelo Programa de Apoio à Tradução e Publicação de Autores Brasileiros no Exterior. Eles eram muitos cavalos, de Luiz Ruffato, e Método prático de guerrilha, de Marcelo Ferroni, serão publicados na Alemanha, enquanto As cinco estações do amor, de João Almino, será traduzido para o italiano. Cristovão Tezza, João Paulo Cuenca, Jorge Amado, Luis Fernando Verissimo, Graça Aranha e Cláudio de Araújo Lima também entram na lista do programa da Fundação Biblioteca Nacional.

Prêmio Brasília de Literatura
Escritores têm até o dia 15 deste mês para se inscrever no Prêmio Brasília de Literatura 2012. Promovido pela 1ª Bienal Brasil do Livro e da Leitura, o prêmio contempla as categorias Biografia, Contos e Crônicas, Literatura Infantil e Juvenil, Poesia, Romance e Reportagem. O valor do prêmio é de R$ 30 mil para o primeiro lugar e R$ 10 mil para o segundo colocado. Podem concorrer apenas obras editadas e publicadas em território brasileiro no período de 1º de janeiro de 2010 a 31 de dezembro de 2011. Mais informações, inscrições e o edital completo através do site www.bienalbrasildolivro.com.br.

Villas-Boas & Moss
Após 17 anos como diretora editorial do grupo Record, Luciana Villas-Boas deixa o posto de comando das editoras e selos do grupo para abrir a Villas-Boas & Moss Consultoria e Agência Literária. Com escritórios no Rio de Janeiro, Nova York e Atlanta, a agência de Villas-Boas será aberta ao lado do advogado norte-americano Raymond Moss e pretende representar autores brasileiros no exterior, assim como buscar novidades nos catálogos internacionais para o mercado brasileiro.

Portugueses no Brasil
Depois da Leya, é a vez de outra editora portuguesa aportar no Brasil: a Tinta-da-China lança no Brasil seu primeiro livro, uma seleção de crônicas do humorista português Ricardo Araújo Pereira, em março. Além de autores portugueses que já constam de seu catálogo, como Dulce Maria Cardoso, a Tinta-da-China também pretende editar brasileiros e iniciar uma coleção infantil, cujo primeiro livro será da brasileira Tatiana Salem Levy.

 

Amado
Uma série de homenagens a Jorge Amado está prevista para este ano em comemoração ao centenário de nascimento do escritor baiano, em 10 de agosto. O Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo, abre em março a exposição interativa Jorge, Amado e Universal, que reunirá fotos, objetos e manuscritos do autor de Gabriela, cravo e canela, cuja obra vem sendo reeditada pela Companhia das Letras. A mesma editora ainda prepara um volume de correspondências do escritor e uma edição comemorativa de Os velhos marinheiros. Para completar, Amado será tema da escola de samba Imperatriz Leopoldinense, no Rio de Janeiro. A programação completa do centenário pode ser conferida em centenariojorgeamado.com.br.

Coelho contra Sopa
Paulo Coelho atacou o projeto antipirataria Sopa em seu blog. Segundo o escritor, a pirataria serve como divulgação e introdução ao trabalho do artista e, no caso de um livro, se o leitor gostar do começo, irá comprá-lo em seguida, pois “não existe nada mais cansativo do que ler longos trechos de texto na tela do computador”. Coelho ainda clama: “Piratas do mundo, uni-vos e pirateai tudo que já escrevi!”.

Leia também

Rascunho

Curitiba - PR

Semifinalista do Prêmio Oceanos em 2019, autor narra um dia na vida de um tradutor à beira do desespero desde a partida de sua noiva
Rascunho

Curitiba - PR

“Os filhos de Hitler”, do jornalista Gerald Posner, apresenta uma visão da vida privada e das ações públicas daqueles que trabalharam para o Terceiro Reich
Rascunho

Curitiba - PR

“Viva la vida”, escrita pela espanhola Carmen Domingos, traz a trajetória da pintora mexicana em dez episódios em português
Rascunho

Curitiba - PR

Da rivalidade literária de Martin Amis à busca por uma voz autoral de Elizabeth Strout, o “Rascunho” seleciona romances que têm escritores no centro de suas tramas