Jovino Machado

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram
09/01/2013

Poesia

a minha poesia é lírica

tem a beleza bucólica
do vôo de uma andorinha

tem o latido melancólico
de um cachorro campestre

tem a solidão jururu
de uma galinha ciscando

mas o que ela queria mesmo
era ter…

a força do tigre
a astúcia do coiote
a agilidade do jaguar
e o mistério do morcego.

 

Prometeu

o sapo de macumba encravado em mim
não impede o vôo da águia
todos os dias devorando o fígado
desse ateu de muitos deuses
meu cáucaso tem saci e buda
meu hércules anda a cavalo
matou o centauro no mar negro
onde desfila o orixá de bailarina
nos cacos-de-vidro de uma noite escura
onde a lua me olha bêbada e perdida.

Publicidade

Leia também

Rascunho

Curitiba - PR

“The Capote tapes”, de Ebs Burnough, refaz o caminho de “Súplicas atendidas”, romance inacabado que arranhou a reputação social e literária do autor 
Arthur Marchetto

Santo André - SP

À frente da Adelphi Edizioni desde 1962, o italiano Roberto Calasso disseca bastidores do processo editorial e faz análises sobre a sociedade do “inominável atual”
Bel Santos Mayer

São Paulo - SP

Sabemos bem que não é uma banda larga de internet que manterá jovens conectados à escola ou que os farão retornar a ela
Rascunho

Curitiba - PR

Evento criado por Marcelino Freire ganha novo formato, com aulas especiais, shows inéditos, conversas ao vivo e oficinas literárias