Dom Casmurro

setembro 2017 / Dom Casmurro / Wagner Schadeck

Texto publicado na edição #209

Wagner Schadeck

Dois poemas de Wagner Schadeck

> Por WAGNER SCHADECK

Numa praça

Nestas ruas há pedintes,
pernetas, putas, velhacos
vendendo alheios barracos,
logrando os contribuintes.

Nas esquinas, os seguintes
são catadores de cacos,
donas desfilam casacos,
pastores com seus ouvintes.

Aonde irá toda essa grei?
Que sigam. Eu ficarei
num busto brônzeo da História.

E assim, no futuro, às vezes,
pombas na festa das fezes
irão batizar-me à glória.

•••

Édipo

Nesta cidade de almas enlameadas,
Como dentes que saltam dos cavoucos,
Os paralelepípedos aos poucos
Podres deixam banguelas as estradas.

Os seus sonhos são lâmpadas queimadas
Num corredor de hospício cujos loucos,
Com colchas no pescoço e gritos roucos,
Em fuga se enforcaram nas sacadas.

Em sua entrada, à luz de olhos alertas,
Que piscam pela madrugada adentro,
Por praças e avenidas mais desertas,

Nos muros e edificações do Centro,
Meu olhar nos hieróglifos constringe:
Como decifro esta voraz esfinge?

Print Friendly