Vidraça

outubro 2012 / Vidraça / Vidraça

Texto publicado na edição #150

Vidraça

Ensaios do crítico Rodrigo Gurgel saem em livro e as inscrições para o I Prêmio Paraná de Literatura na coluna de notícias

> Por YASMIN TAKETANI

 

Bartolomeu Campos de Queirós. Foto: Matheus Dias/Rascunho

Ao inesquecível
Bartolomeu Campos de Queirós, com o livro Vermelho amargo (Cosac Naify), e Suzana Montoro, com Os hungareses, (Ofício das Palavras), são os ganhadores do Prêmio São Paulo de Literatura 2012, o prêmio literário brasileiro com o maior valor oferecido aos vencedores: R$ 200 mil. Morto em janeiro deste ano, Bartolomeu foi o vencedor in memoriam da categoria Melhor Livro do Ano, com uma obra considerada “inesquecível” pelo júri. Já Suzana Montoro recebeu o prêmio da categoria Melhor Livro do Ano – Autor Estreante, com um texto que o júri destacou pela linguagem fluente e sensível. Em 2011, Rubens Figueiredo, com Passageiro do fim do dia, e Marcelo Ferroni, com Método prático de guerrilha, foram os vencedores do prêmio.

A estréia do prêmio
A primeira edição do Prêmio Paraná de Literatura somou 878 livros inéditos inscritos, de todos os estados brasileiros, divididos em três categorias: Poesia – Prêmio Helena Kolody (413), Romance – Prêmio Manoel Carlos Karam (201) e Contos – Prêmio Newton Sampaio (264). Os estados com mais participantes são, pela ordem, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul. O resultado do concurso será divulgado na primeira quinzena de dezembro e o vencedor de cada categoria receberá R$ 40 mil e terá sua obra publicada pela Biblioteca Pública do Paraná, com tiragem de mil exemplares. Os premiados também receberão 100 cópias de seus livros. As obras concorrentes serão avaliadas por uma comissão julgadora formada por um presidente e nove membros (três em cada categoria), entre os quais estão José Castello, João Cezar de Castro Rocha, Marçal Aquino, Heloisa Buarque de Hollanda e Antonio Carlos Secchin.

Quem leva o Jabuti?
No próximo dia 18, serão conhecidos os três vencedores em cada uma das 29 categorias do Prêmio Jabuti, concedido pela Câmara Brasileira do Livro. O primeiro lugar em cada categoria receberá um prêmio no valor de R$ 3,5 mil e concorre às categorias de melhor livro de ficção e melhor livro de não-ficção, estes no valor de R$ 35 mil. Na disputa pelo prêmio, estão os escritores Altair Martins, Nuno Ramos, Luís Henrique Pellanda, Menalton Braff, Dalton Trevisan, Rubem Fonseca, Lygia Fagundes Telles e o colunista do Rascunho Affonso Romano de Sant’Anna, entre outros.

Releituras
Ensaios do crítico literário Rodrigo Gurgel publicados entre 2010 e 2012 no Rascunho acabam de ganhar forma de livro. Muita retórica – pouca literatura (Vide Editorial) reúne parte da produção do crítico no jornal cuja proposta é reler os prosadores da literatura brasileira. Do volume, constam, entre outros, ensaios sobre José de Alencar, Graça Aranha, Aluísio Azevedo, Machado de Assis e Visconde de Taunay.

Flim
De 22 a 27 de outubro, Curitiba recebe a segunda edição da Flim – Festa Literária do Medianeira. José Castello, José Miguel Wisnik, Luci Collin, Otto Leopoldo Winck e Fabrício Carpinejar estão entre os convidados do evento no colégio Medianeira, e participam de palestras e bate-papos com escritores, feira de livros e oficina de criação literária.

Otra língua
A editora Rocco prepara para o início de 2012 uma coleção com autores hispano-americanos. Otra Língua conta com organização do escritor Joca Reiners Terron e já tem Deixa comigo, de Mario Levrero, Como me hice monja, de César Aira, El asco, de Horacio Castellanos Moya e Los Lemmings y otros cuentos, de Fabián Casas.

Print Friendly