Vidraça

julho 2012 / Vidraça / Vidraça

Texto publicado na edição #147

Vidraça

Prêmio Paraná de Literatura, a volta do Vida Breve e a nova fase de Miguel Sanches Neto

> Por YASMIN TAKETANI

Castello reunido
Colunista do Rascunho e do Prosa & Verso, do jornal O Globo, José Castello tem textos sobre literatura publicados em diversos jornais e revistas. Neste ano, dois projetos reunirão parte de sua produção: durante a Bienal do Livro de São Paulo, em agosto, a Bertrand Brasil publica As feridas do leitor, coletânea com textos do escritor publicados na imprensa e no próprio Rascunho, além de algumas conferências. Já suas colunas publicadas no Prosa & Verso — cerca de 100 das mais de 250 — serão reunidas em Sábados inquietos e publicadas pela Leya até o fim deste ano.

Espécie de censura?
O aguardado edital de bolsas de Criação e Circulação Literária da BN/Funarte foi motivo de riso e críticas em relação ao que, no texto, foi entendido como restrição temática. Consta do edital que assuntos como pornografia, tráfico de drogas, terrorismo e discriminação de raças e/ou credos, entre outros, não poderão figurar como temas dos projetos concorrentes. Segundo a Biblioteca Nacional, a intenção era apenas mostrar que não seriam consideradas obras que fizessem apologia a esses temas.

Prêmio Paraná de Literatura
Manoel Carlos Karam, Newton Sampaio e Helena Kolody emprestam seus nomes para a primeira edição do Prêmio Paraná de Literatura, nas categorias romance, contos e poesia, respectivamente. O concurso da Secretaria de Cultura do Paraná vai selecionar livros inéditos, de autores de todo o país. O vencedor de cada categoria receberá R$ 40 mil e terá sua obra publicada pela Biblioteca Pública do Paraná, com tiragem de mil exemplares. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas até o dia 31 de agosto deste ano. Os livros serão avaliados por uma comissão julgadora e o resultado será divulgado em dezembro. O Prêmio retoma uma tradição do estado, que entre os anos 1960 e 1980, através de seu Concurso Nacional de Contos, revelou e premiou escritores como Dalton Trevisan, Clarice Lispector e Ignácio de Loyola Brandão, entre outros. Mais informações em www.bpp.pr.gov.br.

 

Por aí 1
Miguel Sanches Neto está à frente da entrada da editora Intrínseca no mercado da ficção nacional. Ele é o autor convidado a escrever Deportações, primeira ficção brasileira da editora, prevista para 2014. A idéia do romance, ainda com título provisório, é imaginar como seria o Brasil se Getúlio Vargas tivesse se vinculado a Hitler na Segunda Guerra Mundial.

Por aí 2
Já o seu A máquina de madeira, concluído no início deste ano, está de casa nova: o romance histórico de Miguel será publicado pela Companhia das Letras, em novembro de 2012. O livro ficcionaliza a vida do paraibano Francisco Azevedo, que inventou a primeira máquina de escrever industrializável do mundo em 1859, mas que não teve sua idéia pioneira reconhecida como tal.

Por aí 3
Segundo o escritor, a mudança de editora se deu por conta do entusiasmo com que o livro foi recebido na Companhia, apesar de ter sido avaliado por outras editoras, entre elas a Record, responsável pela publicação de seus livros anteriores. “Não houve rompimento, apenas achei que a Companhia se entusiasmou mais com o livro e isso foi determinante para mim. Literatura se faz com entusiasmo”, afirma Neto, cujos livros continuam na Record. Aliás, seu romance de estréia, Chove sobre minha infância, acaba de ganhar uma nova edição pela editora. Atualmente, Luciana Villas-Boas, ex-diretora editorial da Record, é sua agente literária.

Independente
Fanzine pulp nascido no final da década de 1940, em Curitiba, e interrompido cerca de 30 anos depois, LODO, idealizado e editado pelo escritor Florestano Boaventura, foi retomado pelo escritor Otávio Linhares e pelo editor da revista Lama, Fabiano Vianna. A partir de sua atual edição, LODO adquiriu periodicidade bimestral e tiragem de 200 exemplares. Sob o pseudônimo de Detetive Linhares, Dragomir Kephas, Matryona Yaba e Fúlvio Lopes, escritores da capital paranaense, entre eles os editores da revista, colaboram nas edições. Com distribuição limitada, ela pode ser encomendada através de info@revistalodo.com.br.

Vida longa ao VB
Está de volta neste mês o Vida breve, site de crônicas e ilustrações criado por Rogério Pereira, editor do Rascunho, e o jornalista e escritor Luís Henrique Pellanda em 2009. Além dos próprios editores do site, Eliane Brum, Fabrício Carpinejar, Humberto Werneck e Marcia Tiburi escreverão crônicas semanais, de segunda a sábado, sempre acompanhadas por uma ilustração.

Print Friendly