Dom Casmurro

março 2020 / Dom Casmurro / Socorro Nunes

Texto publicado na edição #239

Socorro Nunes

Quatro poemas de Socorro Nunes

> Por Socorro Nunes

equilibrista

na envergadura
da noite
balançam girassóis
indecisos

vivências*

o dia envelheceu mais cedo
uma lua torta capturou meus olhos
fixos num céu de vazios

o sertão não tem porta nem janelas
só silêncios e distâncias
calculadas pelos pássaros que põem ovos de pedra

“viver é muito perigoso”

*[inspirado em Grande sertão: veredas]
referente a gato

os gatos não aderem
a qualquer superfície

consideram a textura do caminho
calculam a precisão do pulo
com a rapidez de um raio

os gatos não aderem
a qualquer cronometria

conhecem bem
as curvas da madrugada
escorrem à noite
anoitecem de dia

euclides desconhece
sua geometria
o inverno de james joyce

num dia curto de inverno
o ar frio ferroa a pele como
um tapete de agulhas finas

entro num vagão de segunda
o trem desliza para kildare
conduzindo imperturbáveis semblantes

num dia curto de inverno
olhos apagados inspiram
a chegada dos vagalumes

Print Friendly