Dom Casmurro

março 2018 / Dom Casmurro / Lucas Guimaraens

Texto publicado na edição #215

Lucas Guimaraens

Cinco poemas de Lucas Guimaraens

> Por Lucas Guimaraens

Lucas Guimaraens, autor de Exílio — o lago das incertezas.

Lucas Guimaraens, autor de Exílio — o lago das incertezas.

A casa

para P.E.L., eternamente

para dias alegres:
amor
única paisagem possível
longe de incertezas
aula de cotidiano na economia dos sonhos
&
estaca de construção — sempre inacabada —
western sem sangue, poeira e prisão
estátua sem teto & acordes
roda de dias & noites
trovoada de enigmas
onda de navegar
nada indica o não

lar é palavra pequena
uivo de liquefações
coisa de pessoas & calos
alga nos olhos de brincadeiras
solilóquio escolhido a dedo & coração

>>>

Memória de um dia

na fila ela se vira
pergunta sobre o preço do selo postal
digo 120 gigabytes
ela foge na carruagem
eu pago a conta atrasada
— solfejam magias de planos
a dois —

volto ao primeiro raio de sol
sento-me sobre brasas
necrotérios em criogenia
parêntesis do tempo.

sol é amante do inflamável
— solitários buscam
suas chamas.

>>>

Minimalista

diariamente
café ralo
ponto de ônibus
(a espera sem saber)

quilômetros até
a construção
ou repartição
capacete
ou computador
britadeira
ou grito

noite
solidão
sertanejo
um tomate com sal
(sem saber se)

diariamente
um tijolo
ou viga
ou aço
ou vidro
ou queda
(sem)

sequer

imaginava
dançar
música
minimalista

>>>

Assassino

assassino
molho plantas & seco feridas
o mar é falésia agreste de distâncias
e meus braços oferecem o que podem ao náufrago

assassino
planto folhas plásticas & nada seco
as montanhas minerais são esqueletos de vidas
e choro os ocos de suas histórias

assassino
deixo pássaros livres
tanto quanto deixo seus dentes
habitarem outros abismos.

assassino
viver é perigoso
quando não há vida

>>>

Fim

iluminuras apagadas
bolsos vazios
veia estourada
fontana di trevi
molduras de peles enrugadas
(de quarenta a sessenta batidas cardíacas)
cápsulas de armamentos
lasers quadrilham esperanças:
nem rosa no asfalto
nem anjos vendidos nas ruas de são paulo
apenas imagens sobre a mesa
ampulheta da memória tingida de rosa & marfim.

Print Friendly