Vidraça

setembro 2018 / Vidraça / Livro ou brinquedo?

Texto publicado na edição #221

Livro ou brinquedo?

De olho em um novo filão, a Estrela, tradicional marca de brinquedos, anunciou que entrará no mercado livreiro. O selo […]

> Por Jonatan Silva | Coluna

De olho em um novo filão, a Estrela, tradicional marca de brinquedos, anunciou que entrará no mercado livreiro. O selo Estrela Cultural foi lançado na Bienal de São Paulo e publicará livros para crianças de 3 a 14 anos, sendo que os 18 primeiros títulos já foram divulgados no evento. Segundo estimativas da empresa, até o final do ano serão 40 livros publicados pela casa. Um dos livros é a adaptação feita por Beto Junqueyra para A volta ao mundo em 80 dias, de Júlio Verne, vendido dentro de uma caixa — como se fosse um jogo — contendo também uma ampulheta e sete desafios. A ideia da Estrela é transformar a leitura em uma experiência lúdica e sensorial.

Luto 1
Em 11 de agosto morreu, aos 85 anos, V. S. Naipul, vencedor de prêmios como o Nobel e o Man Booker. Considerado um dos nomes mais importantes da literatura inglesa do século 20, Naipul nasceu na zona rural de Trindad e Tobago e se mudou para a Inglaterra aos 18 anos, ingressando na Universidade de Oxford. Controverso, e por vezes chamado de misógino e até mesmo colonialista, o escritor ficou conhecido por obras como Uma curva no rio, Uma casa para o Sr. Biswas e Num estado livre. Por aqui, os títulos são publicados pela Companhia das Letras.

Luto 2
A paulistana Zulmira Ribeiro Tavares morreu em 9 de agosto, aos 88 anos. Conhecida pelos livros Café pequeno, Termos de conspiração e Joias de família, estava internada no Hospital Oswaldo Cruz por conta de uma pneumonia. Zulmira recebeu o Prêmio Jabuti em 1991.

Mais um clube 1
Aproveitando os bons ventos dos clubes do livro, em especial da TAG, que ressuscitou esse modelo de negócio, a Intrínseca acaba de inaugura o Intrínsecos, sistema de assinaturas focado em obras inéditas que serão lançadas pela editora. Com duas opções de planos e valor a partir de R$ 49,90 por mês, o clube oferecerá mensalmente um título exclusivo em capa dura — que depois integrará o catálogo geral em capa simples —, uma revista disponível apenas para assinantes e um brinde surpresa. 

Mais um clube 2
Hannah Gadsby, comediante que virou fenômeno com o stand-up Nanette, terá suas memórias publicadas pela Intrínseca em 2019. De acordo com o comunicado da editora, o livro reunirá “momentos engraçados e sombrios de sua vida e expande sua biografia ao contar histórias que ficaram de fora do espetáculo”. A obra ainda não teve o título divulgado.

Tiradentes
A Companhia das Letras publicou no começo de agosto O Tiradentes: Uma biografia de Joaquim José da Silva Xavier. Escrito pelo jornalista Lucas Figueiredo, que já integrou a redação da Folha de S. Paulo e colaborou com a rádio BBC de Londres, o livro busca desmistificar a figura de Tiradentes, um dos maiores mártires da história Brasileira. A biografia, que é fruto de extensas pesquisas ao longo de cinco anos, explora o homem por trás do mito, evidenciando os aspectos de sua vida pessoal, passando inclusive pelas diversas profissões que desempenhou. 

Bienal
Com o mercado em recessão e o calote de algumas livrarias, as editoras comemoram as vendas da Bienal de São Paulo, realizada entre 3 e 12 de agosto. A Sextante, impulsionada pelo livro A mulher na janela, teve aumento de 50% no número de exemplares vendidos, em comparação a 2016. A Autêntica e Leya registaram alta de 20%. Já a Record sentiu um acréscimo mais modesto, atingindo 5%. 

Jornalismo literário
A Companhia das Letras publica neste mês As últimas testemunhas: cem histórias sem infâncias da jornalista e escritora Svetlana Alexievich, Nobel de Literatura em 2015. O livro narra as dores da Segunda Guerra Mundial na Bielorrússia pelo olhar de sobreviventes que, à época do conflito, eram crianças. A obra é um dos relatos mais pungentes do conflito, que terminou com a morte de mais de 6 milhões de judeus. 

Compêndio mítico
A Biblioteca elementar, de Alberto Mussa, chegou às livrarias em agosto. Encerramento do chamado Compêndio Mítico do Rio, o livro narra por meio de histórias policias a influência de negros, índios e do Brasil popular no imaginário carioca. Influenciado por nomes como João do Rio, Mussa cria um panorama interessante e misterioso sobre a capital fluminense, estabelecendo paralelos entre passado e

Breves
• As livrarias cariocas Travessa e Blooks colocaram livros sobre Hitler ao lado da “biografia” de Bolsonaro, candidato à presidência em 2018. O presidenciável é conhecido pelo seu discurso do ódio, pontuado por visões preconceituosas e extremas.

• A Todavia anunciou em agosto o lançamento de uma nova biografia de Cartola. O livro, ainda sem título definido, será escrito pelo jornalista Luiz Fernando Vianna e deverá ser lançado somente em 2020, quando a morte do sambista completará quatro décadas.

• A Companhia das Letras anunciou o lançamento do livro Fire & blood, de George R. R. Martin. De acordo com o comunicado da editora, o título no Brasil será Fogo e sangue e deve chegar às livrarias ainda em 2018.

Print Friendly